// Programação
DIA 25 DIA 26 DIA 27 DIA 28 DIA 29 DIA 30


// Dia 25 de Abril | Terça-Feira
Muros do Dragão do Mar
18:00H | Jangadeiros | Rafael Limaverde | Arte Urbana

Nascido em Belém (PA) e naturalizado cearense, Rafael Limaverde é ilustrador editorial, chargista/cartunista e xilogravurista . Formado em Artes Visuais pelo Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará (IFCE) já trabalhou como ilustrador, infogravurista, design e ilustrador. Grafita há 10 anos e foi integrante do Grupo Acidum expondo em Fortaleza, São Paulo e Rio de Janeiro. Participou das duas edições do Festival Concreto de Fortaleza (2013 e 2015), bem como da II Semana do Grafite e do Projeto Conexões Urbanas. Curador das exposições Eco Barroco e Bestiário Nordestino.

Sinopse
A proposta, dialogando com a temática da Maloca de 2017, é a realização de intervenções em stencil inspiradas nas fotos de jangadeiros do fotógrafo Chico Albuquerque. As obras serão aplicadas em muros do Centro Cultural Dragão do Mar.

MAC - Museu de Arte Contenporânea
19:00H | | O Fotógrafo Chico Albuquerque - 100 Anos | Exposição

O centenário de "Seu Chico" é comemorado na abertura da Maloca Dragão, em uma exposição com mais de 400 fotografias de sua autoria. Responsável pela série "Mucuripe", Chico Albuquerque projetou o litoral cearense no cenário nacional com o still do documentário It's all true, de Orson Welles.
Foi também pioneiro na fotografia de publicidade e é referência como retratista no Brasil. A exposição, em cartaz até dia 2 de julho, reúne acervos da família do fotógrafo cearense e do Instituto Moreira Sales.

MAC - Museu de Arte Contenporânea
19:00H | Quatro homens e uma Jangada | Eric Barbosa | Música

Uma performance sonora onde é realizada uma re-interpretação audiovisual em caráter de Trilha Sonora AO VIVO do clássico filme: For Men on the Raft / Orson Welles (1942). A performance sonora, além de celebrar o centenário de Orson Welles (2015), faz referências aos quatro pescadores que se aventuraram por melhores condições de vida, em mares atlânticos. O compositor e instrumentista Eric Barbosa se une aos músicos Guilherme Alvez e Júlio Cesar Santana - além de contar com colaboração do artista visual Dimitri Lomonaco, os artistas utilizam percussão, baterias, guitarras e sintetizadores, executando ao vivo o filme e intercalando a exibição com imagens originais da película, fotos atemporais da Praia do Peixe e Iracema entre outros arquivos de áudio, fotogramas e outras mídias redescobertas no processo de pesquisa e montagem da performance. Eric atua como educador-pesquisador em projetos em formação em música e tecnologia desenvolvendo significativos projetos educacionais e implantando estes projetos nos principais pólos de cultura do país
 


// Dia 26 de Abril | Quarta-Feira
Cinema do Dragão
19:00H | | Mostra de Cinema Documental: Fronteiras e Verdades | Cinema

Mostra de Cinema Documental: Fronteiras e Verdades

Realidade e ficção se misturam no cânone de Orson Welles. Inspirada nesse contexto, a Mostra Cinema Documental: Fronteiras e Verdades, apresentada pelo Cinema do Dragão, de 26 a 29 de abril, traz à tona obras audiovisuais que cruzam temáticas centrais do documentário brasileiro e mundial. A busca por uma identidade nacional, a convergência entre os registros documentais e ficcionais, a alteridade, a criação de narrativas através de olhares estrangeiros e questões de cunho político dão o tom das provocações fornecidas pela mostra. Exibidos gratuitamente, os filmes atravessam essas temáticas em diferentes contextos políticos, narrativos e estéticos. Além disso, haverá espaço para as tradicionais atividades de formação e debate oferecidas pelo Cinema do Dragão, com participação de antropólogos e cineastas convidados. Seminários e conversas devem discorrer sobre a construção da identidade cearense através dos olhares estrangeiros e sobre os embates entre documentário e ficção no cinema brasileiro. Quem abre a programação, no dia 26 de abril, às 19h30, é o longa BARONESA, uma mistura entre documentário e ficção, ganhador do Troféu Barroco, dado pelo Júri da Crítica, na 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes. O longa-metragem registra a rotina de duas amigas, Andreia e Leidiane, que vivem no bairro Vila Mariquinha, em Belo Horizonte. Com uma câmera muito próxima das personagens, o filme aborda a experiência de ser mulher em um bairro de periferia. A sessão contará com a presença da realizadora Juliana Antunes. //

 

Cinema do Dragão
19:30H | Baronesa | Mostra de Cinema Documental: Fronteiras e Verdades | Cinema

Quarta-feira (26/04) 19h30: BARONESA + debate com a diretora Juliana Antunes. Dirigido por Juliana Antunes (Minas Gerais) / 75 min / 16 anos Sinopse: Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias //


// Dia 27 de Abril | Quinta-Feira
Teatro Dragão do Mar
19:00H | Travessia | Cia de Dança Katiana Pena | Dança

O Studio de Dança Katiana Pena surge no ano de 2007, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza (CE), envolvendo jovens e adolescentes que tiveram a oportunidade de frequentar cursos e oficinas de dança no projeto Visibilidade Cultural, do Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ), onde Katiana Pena atuava como facilitadora.
Com a conclusão dos cursos e oficinas de dança, surge o projeto Studio de Dança Katiana Pena que tem como proposta trabalhar o desenvolvimento artístico, a formação cidadã, explorar o potencial existente dentro da periferia e transformar sonhos em realidade.

Sinopse do espetáculo
A montagem é uma reflexão sobre a vida urbana de periferia sob a ótica de quem está à margem, sem necessariamente ser marginal. Leva à cena as contradições de um sistema que faz sofrer homens e mulheres pobres. 
 

Cinema do Dragão
19:30H | Soy Cubra | Mostra de Cinema Documental: Fronteiras e Verdades | Cinema

Quinta-feira (27/04) 19H30 SOY CUBA dirigido por Mikhail Kalatozov (Rússia) / 143 min / 12 anos Sinopse: O filme traça um perfil de um período de transição em Cuba, entre a derrubada do regime de Batista e a revolução comunista, a partir de quatro histórias diferentes. Maria, de Havana, fica envergonhada após seu pretendente descobrir como ela ganha a vida. O idoso camponês Pedro tem as terras onde cultivava vendidas para uma empresa. Um universitário vê seus amigos serem atacados pela polícia quando distribuíam panfletos a favor de Fidel Castro, enquanto uma família de camponeses é ameaçada pelas forças de Batista. //

Teatro das Marias
20:00H | Céu de Basquiat | Cia. Márcio Cunha Dança Contemporânea | Dança

Céu de Basquiat é uma performance que transita entre as atuais questões políticas e culturais no Brasil e no mundo, paralelamente às demandas do universo particular e instigante das obras de Jean Michel Basquiat e do intérprete criador Márcio Cunha. Jean Michel Basquiat (1960-1988) figura famosa no meio da arte contemporânea, conhecido como neoexpressionista, teve uma carreira meteórica e uma história de vida conturbada, que o levou ao suicídio por overdose de heroína aos 27 anos em seu ateliê. Céu de Basquiat é um encontro direto com o lado escuro do ser humano, uma entrega abissal na busca de perguntas que façam sentido para o intérprete enquanto criador, atravessado pelo momento atual do país e suas angústias enquanto ser humano. Um mergulho vertical na relação entre movimento e tinta, entre dança e dramaturgia, entre o artista e o personagem, tendo em vista o desnudar de questões pertinentes ao corpo, à morte, à sexualidade, à espiritualidade, à violência, às relações sociais, ao preconceito, ao valor da arte, ao mercado da arte e à produção artística.

Ficha ténica:
Concepção, performer e instalação: Márcio Cunha. Colaboração artística- Ana Paula Bouzas, Aline Bernardi, Juliana Nogueira, Micheline Torres, Mariana Bernardes Baltar. Desenho e operação de Luz: Juca Baracho. Operador de som: Gabriel Gaia. Design e fotos de divulgação: Leonardo Miranda. Fotos do espetáculo: Renato Mangolin. Teaser e vídeo do espetáculo: Guto Neto.
 

Ruas no entorno do Dragão do Mar
20:00H | A Granja | Grupo Nóis de Teatro | Teatro

O Nóis de Teatro é um grupo de teatro de rua criado em 2002, na periferia de Fortaleza (CE).  Ao longo dessa trajetória, o grupo resiste em sua comunidade desenvolvendo projetos culturais no Grande Bom Jardim. A pesquisa estética do grupo tem como matriz um olhar político sobre a sociedade, apoiando-se na poética democrática dos espaços públicos como lugar de encenação e descobertas. O repertório de espetáculos do grupo inclui A Granja, Sertão.doc, Quase Nada, Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro, além das performances anuais da sua intervenção urbana O Jardim das Flores de Plástico. O grupo tem participado de mostras, encontros e festivais em diversas cidades do Brasil. 

Sinopse do espetáculo
A Granja traz a linguagem popular e brincante do teatro de rua tradicional. A peça tem como referência a obra Ubu Rei, de Alfred Jarry, para falar de como Zé da Granja se tornou um grande imperador, revelando o controle social, a alienação popular e a territorialização das favelas. Com poesia popular e brincadeira, o espetáculo propõe um ato novo, tão difícil de encontrar na atual sociedade: a possibilidade da construção do pensar.

Ficha técnica
Dramaturgia e Direção: Altemar Di Monteiro. Assistência de Direção: Kelly Enne Saldanha. Elenco: Edna Freire, Henrique Gonzaga, Nayana Santos, Kelly Enne Saldanha, Amanda Freire, Dorotéia Ferreira, Bruno Sodré e Jefferson Saldanha.

Escola Porto Iracema
21:00H | Restos de si cavam janelas | Comedores de Abacaxi S/A | Teatro

Surgido em 2014 em Fortaleza, o grupo Comedores de Abacaxi S/A é formado por  Aristides de Oliveira, Bruna Pessoa, Clara Monteiro, Débora Ingrid, Jéssica Teixeira e Wescly Psique. Inicialmente, os integrantes se reuniram para a leitura do texto Calígula, de Albert Camus. A partir desse momento, surgiu o desejo de pesquisar e aprofundar o olhar sobre o existencialismo proposto na obra, o que resultou no trabalho de estreia do grupo: Calígulas. Comedores de Abacaxi S/A também já apresentou espetáculos infantis, como o Entra na Roda. O último trabalho do grupo, Restos de si cavam janelas faz parte do processo de pesquisa "Um corpo em estado de demolição: um percurso poético a partir do edifício São Pedro", fruto do Laboratório de Pesquisa Teatral do Porto Iracema das Artes. 

Sinopse do espetáculo
Fora daqui, instalados em vários lugares restos de tudo. Abre-se uma janela para o agora. Quatro ou cinco minutos depois tudo se apaga, quatro ou cinco minutos depois tudo se transforma outra vez. Os pés exigem leveza ao atravessar o corredor. Quem será que ainda agora, nesses tempos escuros, tenta se comunicar comigo?
 

Teatro Sesc Iracema
21:00H | Baldio | Grupo Pavilhão da Magnólia | Teatro

O Grupo Pavilhão da Magnólia surgiu em 2005, em Fortaleza, realizando produções para palco, rua e público infanto-juvenil. Em 2012, foi convidado para a realizar uma Residência Artística no Teatro Universitário Paschoal Carlos Magno (UFC), de onde surgiram espetáculos como o Baldio. O grupo também foi co-realizador do Festival Nacional de Teatro de Rua do Ceará. Em sua trajetória estão espetáculos como A Revolta das Coisas (2005), O Pássaro Azul (2008), Pétalas (2009), Festa (2012) e Baldio (2015). 

Sinopse do espetáculo
No palco, cinco atores em quadros cênicos que abordam histórias reais do próprio grupo. Um atravessamento de temas, como a morte, o estar-no-mundo, a possibilidade do encontro, que se costuram por meio dos relatos, em uma junção de cena, audiovisual e literatura. A figura do cão vira-lata em sua dimensão de abandono constituiu mote a partir do qual memória e representação questionam seus limites. 

Ficha técnica
Direção: Héctor Briones. Dramaturgia: Astier Basílio. Colaboração dramatúrgica: Edivaldo Batista e Luisete Carvalho. Assistência de Direção e Preparação Corporal: Edivaldo Batista. Elenco: Denise Costa, Eliel Carvalho, Jota Jr. Santos, Nelson Albuquerque e Silvianne Lima. 
 


// Dia 28 de Abril | Sexta-Feira
Arena Dragão do Mar
16:00H | | Mágico Éflem | Infantil

Com mais de 20 anos de experiência, o mágico Éflem atua em shows infantis na cidade de Fortaleza, além de se apresentar em várias cidades do interior cearense. 

Sinopse do espetáculo
Show interativo, com artifício visuais e cômicos para a plateia infantil. O espetáculo é repleto de ilusões como aparições de pombos coloridos, sombrinhas, lenços, flores, coelho e um maravilhoso número de levitação, onde a todo o momento o público é surpreendido. 

Ficha técnica:
Éflem Gonçalves.
 

Aterrinho Praia dos Crush
16:30H | | Dub Foundation + Buguinha | Música

O Dub Foundation Sound System é um coletivo de Fortaleza, fundado no ano de 2006, por iniciativa do Caio Dub Foundation. Buguinha é um produtor musical e engenheiro de som. Ao longo de quase 30 anos, Buguinha DUB, esteve no P.A. (Public Address) de músicos e bandas como Racionais MC, Nação Zumbi, Mundo Livre S/A, Natiruts, Manu Chao, Ultraje a rigor, entre outros. 

Arena Dragão do Mar
17:00H | Suspiros & Burbujas | Laguz Circo | Infantil

A Companhia Laguz Circo traz música, acrobacia, malabares e muito humor no espetáculo Suspiros & Burbujas, que vem viajando pelo Brasil no bagageiro de um fusca verde chamado Olivério. Formado pelo brasileiro Felipe Abreu e pela argentina Romina Sanchez, o espetáculo cria uma atmosfera mágica com as figuras dos palhaços Suspiro e Burbuja, que utilizam elementos acrobáticos, musicais, além das bolhas de sabão gigantes que encantam o público. O cearense Felipe é o palhaço Suspiro, motorista do Olivério e tocador de buzina, já a argentina Romina é a palhaça Burbuja (bolha, em espanhol), acrobata, sanfoneira e encantadora de bolhas de sabão gigantes.

Sinopse:

O espetáculo Suspiros & Burbujas já fez uma viagem de Florianópolis a Fortaleza levando o projeto Se Essa Essa Praça Fosse Minha para diferentes espaços públicos em todo Brasil. O projeto explora a figura do palhaço e o viés cômico das técnicas circenses por meio de eventos e oficinas que fomentam o diálogo com outros artistas e com o público de diversas regiões e cidades brasileiras. O intercâmbio artístico e a formação de plateia fazem parte das vivências e atuações da companhia e o espetáculo Suspiros & Burbujas.

Ficha técnica
Criação e interpretação: Felipe Abreu e Romina Sanchez. Figurino: Paulo José. Fotos: George Harrison.
 

Arena Dragão do Mar
17:00H | Pé de Palavra | Anna K Lima / Jéssica Gabrielle Lima / Flora Caroline Santos/ Samya Alencar | Literatura

Propondo o encontro das palavras com as pessoas estão quatro mulheres com diferentes perfis e um atravessamento: a literatura. Anna K Lima é escritora, produtora cultural, atuante em mídia alternativa, designer, zineira. Jéssica Gabrielle Lima é designer gráfica e ilustradora. Flora Caroline Santos é membro do Coletivo Bons Ventos Sempre Chegam e uma das idealizadoras/produtoras do Zine/Sarau A Literação da UFC. Samya Alencar também é  membro do Coletivo Bons Ventos Sempre Chegam, além de articuladora da cena Cariri. 

Síntese da proposta
As performances poéticas de Pé de Palavra consistem em pendurar postais e fitas coloridas com palavras/frases/textos/músicas/poesia/receitas para encantar os transeuntes. Dependuradas, as palavras poderão ser arrancadas, consumidas, partilhadas, distribuídas, sentidas, destinadas a quem quer que seja a fim de que a real finalidade se concretize: afetar outrem, entendendo a cultura como uma forma de socialização.

Ruas no entorno do Dragão do Mar
17:00H | Yemonja e a Princesa Negra | Edivaldo Batista | Teatro

Edivaldo batista é diretor teatral, ator pesquisador, preparador de elenco, ministrante de cursos e oficinas para atores e estudantes de teatro. Graduado em Artes Cênicas pelo IFCE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará), já foi membro dos grupos Bagaceira e Teatro Máquina. Hoje, atua como ator-criador nos espetáculos: Iroko (2013), Projeto Achados e perdidos (2013), As Fadas (2014), A Menina dos Brincos de Ouro (2015), O Pequeno Ogum (2014) e Yemonja e a Princesa Negra (2015/2016). Além dos trabalhos de narração para adultos: Um Prólogo para Iansã, Rosa Maria e dos trabalhos de pesquisa de movimento: Terreiro de Mulheres e Estudo para Rosa Maria. Também desenvolve os trabalhos de narração para crianças: Contos da África e Histórias de Heróis Negros.

Sinopse do espetáculo
O espetáculo explora a trajetória de uma Menina Negra, descendente do Povo Egbá e prometida a se tornar a matéria que invoca, por meio de suas raízes ancestrais, a força da orixá Yemonja. Nesse percurso é capturada e levada a nova terra. O espetáculo faz alusão á resistência do Povo Negro e das primeiras formações às mães de santo.

Ficha técnica
Elenco: Edivaldo Batista, Flavia Cavalcante. Direção e Concepção: Edivaldo Batista. Música: Juliana Roza, Diego Ramires. Composição de Música: Juliana Roza. Adereços: Edivaldo Batista e Iury Aldenhoff. Figurino:Francisa Leo. Preparação Corporal: Pedro Emanuel. Arte Designer: Tim Oliveira.
 

Rua Tabajaras
17:00H | Memória em Construção | Felipe Camilo | Arte Urbana

Felipe Camilo é um artista visual e pesquisador de Fortaleza que vem discutindo fotografia, memória e cidade através da imagem, da intervenção urbana e do texto cartográfico. É sócio-fundador do Estúdio Pã - Imagem & Internet (2010) e da ATOA - Associação Trama de Olhares em Audiovisual (2014). Enquanto fotógrafo, dedica sua carreira à fotografia documental da arte e do cotidiano, atuando também na área editorial e publicitária.

Sinopse
Memória em Construção é uma série de sobreposição fotográfica de fortes azuis e pretos da paisagem urbana de Fortaleza, Ceará. Os três murais lambe-lambe versam sobre o concreto como vocação retangular para a silhueta das metrópoles. Nas fotografias sobrepostas, prédios em construção recortam a vista de arquiteturas icônicas de Fortaleza e de seu céu. As imagens trazem construções históricas do Centro da cidade, da Jacarecanga e da Praia de Iracema. 

Arena Dragão do Mar
18:00H | SarauZona | Talles Azigon | Literatura

Talles Azigon é um poeta e produtor cultural de Fortaleza. Durante cinco anos, produziu o Sarau Palco Aberto no Templo da Poesia, antigamente localizado no Centro da cidade. Também criou e produziu outro Saraus como o Sarau Substânsial, Sarau do Porto Iracema, Poetas entre Livros. Atua como produtor de eventos de literatura, foi curador e idealizador do Dragão das Letras, produziu a Feira Índice, é produtor de Literatura no Centro Cultural Banco do Nordeste e do Programa Literatura em Revista. É criador e editor da Editora Substânsia.

Síntese da proposta
O SarauZona se propõe a reunir alguns dos diversos Saraus que existem em Fortaleza e que tomam conta de espaços culturais, casas, praças e espaços alternativos espalhados pela cidade e pela Região Metropolitana. Dessa forma, um grande encontro de saraus e poetas com toda energia, liberdade e poesia que um imenso Sarau pode produzir.
 

Oca Maloca
18:00H | Reisado Mestre Aldenir | Mestre Aldenir | Cultura Popular

José Aldenir Aguiar, o Mestre Aldenir, acumula mais de 50 anos dos seus 84 de dedicação ao reisado, formando as novas gerações de brincantes cearenses. Suas experiências o consolidaram como um dos mais importantes mestres do reisado no Cariri do Ceará.  Hoje, transmite seu acúmulo de peças da oralidade ancestral por meio da Escola de Formação de Brincantes na Bela Vista - Crato (CE),  propiciando às crianças, adolescentes e adultos a possibilidade do encantamento com entremeios, guerreiros, reis, rainhas e embaixadores.
 

Palco Rogaciano Leite Filho
19:00H | | Fortal la Máfia | Música

Fortal la Máfia é um grupo de rap cearense, ativo em Fortaleza desde o ano de 2013. Sua formação é composta por seis integrantes: Eduardo Xavier, Ring King, P-erri, Mano Edi, Snow e Trança. O grupo percorre a cidade mandando o som em diversos locais e já fez abertura de shows de grandes artistas nacionais. 
 

Teatro Sesc Iracema
19:00H | Flor de Obsessão | Ricardo Guilherme | Teatro

Referência nas artes cênicas cearenses, Ricardo Guilherme é ator, dramaturgo, diretor teatral, contista, cronista, poeta e professor com vasto repertório de espetáculos em sua trajetória nacional e internacional. Além de ser um dos fundadores da Licenciatura em Artes Cênicas da Universidade Federal do Ceará (UFC), possui livros publicados sobre a história do teatro cearense. Também fez parte da equipe fundadora da Televisão Educativa do Ceará, hoje TV Ceará e da Rádio Universitária. É formulador da teoria e do método do Teatro Radical Brasileiro (1988).  

Sinopse do espetáculo
Flor de Obsessão reúne três contos de Nelson Rodrigues (Morte pela Boca, Missa de Sangue, Unidos na Vida e na Morte) e mais um prólogo e um epílogo concebidos a partir de uma compilação de textos nos quais o autor explicita os temas centrais de sua obra, ou seja, sua obsessiva predileção por histórias em que o amor e morte se inter-relacionam e se completam.

Ficha técnica
Texto de Ricardo Guilherme, transcriação a partir de textos de Nelson Rodrigues. Direção, 
atuação e dramaturgia: Ricardo Guilherme. Produção: Elisa Alencar.
 

Passarela do Dragão do Mar
19:00H | Sem Título | Junior Mendes | Arte Urbana

Projeto estético em que o performer Junior Mendes altera a relação do corpo com o espaço urbano e sua arquitetura. Ele é pesquisador e um poeta que, por meio do método da cartografia, atualiza a cidade num plano de experimentação, apresentando um jogo de composição em tempo real: oposição de forças, espaços entrecruzados e diferentes camadas de tempo. Junior é Técnico em Dança (IACC/SENAC/SECULT) e Bacharel em Dança pela Universidade Federal do Ceará. Concluiu o Ateliê de Composição Coreográfica e Processos Criativos em Dança (VILA DAS ARTES/INSTITUTO DE CULTURA E ARTE - ICA/UFC). É estudante do curso de licenciatura em Dança da UFC e bailarino na Cia de Dança Rossana Pucci .

Sinopse:
Uma instalação-performativa movida por um desejo de composição. Compõe-se outro espaço dentro do espaço urbano. Uma arquitetura reticular que interage [...] com o meio no qual se insere e, na medida de seu próprio alcance, [rearranja-o] e [rearranja-se] através dos impactos performativos que produz.

Palco Anfiteatro
19:30H | | Tocata Livre | Música

Um encontro de gerações da música instrumental cearense forma o Tocata Livre, criado em 2015. Músicos com experiências e formações variadas, o trio é formado pelo baixista Hermano Bezerra, o baterista Luizinho Duarte e do acordeonista Nonato Lima. No palco, os ritmos populares brasileiros e nordestinos, da bossa nova ao baião, do samba ao frevo e ainda o característico improviso jazzístico são apresentados. 

Cinema do Dragão
19:30H | Vidas na Orla | Mostra de Cinema Documental: Fronteiras e Verdades | Cinema

Sexta-feira (28/04) 19h30 VIDAS NA ORLA (estreia) dirigida por Alexandre Fleming (Ceará) / 75 min / Livre Sinopse:A Série Vidas na Orla consiste em um experimento etnográfico sobre a diversidade de experiências na orla fortalezense. Abrangendo três territórios importantes de nossa capital, a saber, a Barra do Ceará, O Poço da Draga e a Beira-Mar, a série busca figurar a diversidade de um povo criado à beira do mar, as resistências locais, as benesses e desventuras do viver urbano. Os filmes são: Marco Zero, Dia de Vo(l)tar e Arte Itinerante, com direção do antropólogo Alexandre Fleming Câmara Vale. //

 

Palco José Avelino
19:45H | | Cassino 12 | Música

Grupo de Rap nativo de Fortaleza, surgiu em 2007 sob comando de MC Querubim e MC Pena La Máfia. O grupo vem com a proposta de transmitir mais que rimas conscientes e líricas, vem pra mostrar a essência de sua música, lapidada nos becos e nos asfaltos e beira de praia. Cassino 12 tem um estilo próprio e diversificado que engloba, além do Rap, levadas e melodias de músicas latinas, R&B, Jazz, Soul, Trap Music, MPB, Rock e outras. Outras influências vêm da busca pela referência no romantismo, malícia e poesia de grandes artistas como: Agostinho dos Santos, Bezerra da Silva, Legião Urbana, Chico Buarque, Cazuza, Cartola, Cassiano, Tim Maia, Moreira da Silva, Roberto Carlos, Marvin Gaye, Lenine, Marcio Greyk, Sabotage, Criolo, Realidade Cruel, Racionais Mc´s, Facção Central, Raul Seixas, entre outros.
 

Palco Praça Verde
20:00H | Lançamento do álbum Mad Monkees | Mad Monkees | Música

Mad Monkees é uma banda de rock de Fortaleza, no Ceará, formada em 2015 por músicos com vasta experiência no cenário musical da cidade. Reunindo a empolgação de um novo projeto, a bagagem e reconhecimento das trajetórias de atuação, a banda vem agregando admiradores.
Em 2015, lançou um EP com quatro faixas e, em 2017, o disco de estreia foi disponibilizado nas plataformas de streaming. Este último foi produzido por Carlos Eduardo Miranda em parceria com Rodrigo Sanches.
A banda tocou nos Festivais DoSol e Suado (RN), Dragão do Metal, Feira da Música e Rock-Cordel, Ponto CE, Maloca Dragão (CE), assim como abriu shows de bandas como Soulfly, Dance of Days e Glória.
O quarteto cearense é formado por Felipe Cazaux (guitarra/voz), Hamilton de Castro (baixo), Capoo Polacco (guitarra) e PH Barcellos (bateria). Com influências de Black Sabbath, Led Zeppelin e Nirvana, a banda tem conquistado admiradores no rock. Com artistas com vasta experiência no cenário artístico, Mad Monkees reúne elementos diversos em uma pegada rock.
 

Palco Draga Dragão
20:00H | Pré-lançamento do disco Nayra Costa & Los Flenkys Boys | Nayra Costa | Música

Com influências e experiências em estilos musicais como rock, reggae, jazz e MPB, Nayra Costa começou a cantar ainda adolescente, em Fortaleza. Intérprete multifacetada, ao longo da sua extensa trajetória acumula mais de duas mil apresentações nas principais casas de shows e bares da capital cearense e outras cidades, assim como a participação em festivais como Rock Cordel, Festival Jazz & Blues de Guaramiranga, Festival Nacional da Canção. Em 2012, participou do The Voice Brasil, chegando às semifinais do programa. Em 2016 foi selecionada para o Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes, onde desenvolveu pesquisa acerca das diversas sonoridades com as quais dialoga, buscando assim novas composições. Lança, em 2017, seu disco Nayra Costa & Los Flenkys Boys. 
 

Teatro Dragão do Mar
20:00H | Ossos | Coletivo Angu de Teatro | Teatro

O Coletivo Angu de Teatro é um grupo sediado em Recife, Pernambuco, criado em 2003. Ao longo da trajetória, foram realizados trabalhos continuados em busca da valorização do trabalho de dramaturgos locais. Com a participação em festivais, reconhecimento por meio de premiações e apresentações em diversas cidades brasileiras, o Coletivo é responsável por espetáculos como Angu de Sangue, Rasif - mar que arrebenta, Angu de Canções, Ópera, Essa febre que não passa e Ossos, reconhecidos por público e crítica especializada. 

Sinopse do espetáculo
Esta é uma história de amor, exílio e morte. Mediado por interferência de um coro de Urubús, o dramaturgo Heleno de Gusmão empreende uma viagem de volta a suas lembranças e origens, a pretexto de entregar os restos mortais do seu amante aos familiares do mesmo. Os fatos são apresentados de modo não-linear embaralhando começo, meio e fim. Uma parte se desenrola num submundo paulistano, povoado por diferentes classes de retirantes nordestinos, e outra se dá na estrada que leva o escritor até Sertânia, no interior de Pernambuco.

Ficha técnica
Texto: Marcelino Freire Direção: Marcondes Lima Direção de arte, cenários e figurinos: Marcondes Lima. 
 

Palco Rogaciano Leite Filho
20:30H | | Isabel Gueixa | Música

A cantora utiliza a música como um resgate cultural da black music, misturando o Soul Funky com a levada do Rap e R&B Nacional. São músicas dançantes que também trazem conteúdo, as letras falam de empoderamento feminino, diversidade sexual e equidade social. Desta forma, abrange a complexidade em um único som, onde se pode balançar e também refletir. Neste novo trabalho, Isabel Gueixa procura inovar, mas buscando influências de suas origens no Soul, Funky, Rap, Rhythm & Blues, Jazz. Desde de 2016, Isabel Gueixa busca sentir a música na sua ancestralidade, inspirando-se em grandes referências nacionais e internacionais como: Marvin Gaye, Aretha Franklin, Tim Maia, Erykah Badu, Cassiano e Gerson King Combo.sentir a música e nossas ancestralidades.
 

Oca Maloca
21:00H | Raiz do Céu | Camila Pessoa | Circo

Raiz do Céu é um número circense com a utilização de texto e linguagem física, o número é resultado de um processo criativo que envolve pesquisa cênica e técnica de trapézio. Aprovado pelo Prêmio Funarte Caixa Carequinha no módulo criação de número, e pelo Edital de Promoção e Publicação em Artes de Fortaleza/Instituto Bela Vista/Secultfor 2016.

Sinopse:
O número Raiz do Céu tem como tema exprimir minimamente a alienação de si, quando se é parte de uma engrenagem invisível. É um número de trapézio, e no transcorrer há uma movimentação no primeiro momento, no qual se desdobram aspectos corporais de uma transformação. No segundo momento é o corpo suspenso no trapézio que se liberta.

Ficha ténica:
Criação e interpretação: Camila Pessoa. Trilha sonora: Gustavo Portela. Direção colaborativa: Edmar Candido, Gabriela Jardim. Figurino: Paulo José.

Oca Maloca
21:00H | Solamente | Alysson Lemos | Circo

Solamante é uma experimentação infinita do artista Alysson Lemos, é um mergulho na dramaturgia circense e na estética do palhaço. O número explora as técnicas de malabarismo e equilíbrio sob a perspectiva da bufonaria moderna, elementos da pesquisa que vem sendo desenvolvidas pelo Grupo As 10 Graças de Palhaçaria desde 2012 na cidade de Fortaleza, Ceará.

Sinopse do espetáculo
Um enredo de desvios, a possibilidade do encontro entre a técnica e o absurdo, o universo grotesco que habita a mente do palhaço é colocada em evidência quando jogar com o outro é a chave para a construção de relações. Solamente é uma desconstrução de lógicas dentro do conjunto de fatos onde o absurdo se faz possível.

Ficha técnica:
Concepção e atuação: Alysson Lemos. 
 

Oca Maloca
21:00H | O Trapezista e o Dinossauro | Mauricio Rodrigues | Circo

O Trapezista e o Dinossauro é um solo de palhaçaria desenvolvido por Mauricio Rodrigues. O espetáculo surgiu a partir de experimentos realizados em praças da cidade de Fortaleza com números de hipnose, arremesso de facas e reprises de trapézio. Desde sua estreia em junho de 2016, foi apresentado em circos, varietés e cabarés de palhaço, e nos festivais Sabacu da Arte no Sistema e na VI Mostra Dragão do Mar de Arte e Cultura de Canoa Quebrada/CE. 

Sinopse do espetáculo
Batuta realiza seus mais perigosos números, vistos por milhões de pessoas em picadeiros consagrados ao redor do mundo. Arriscando não apenas a sua vida, mas também a do público.

Ficha ténica
Criação e atuação: Mauricio Rodrigues. Sonoplastia: Luis Carlos Shinoda
 

Escola Porto Iracema
21:00H | A terceira margem do rio | Coletivo Soul | Teatro

O Coletivo Soul surge em Fortaleza, em 2009, em função da criação do espetáculo "Rãmlet Soul", premiado pela Funarte e Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor). Com temporadas em espaços icônicos como o Theatro José de Alencar e participação em importantes festivais regionais, o espetáculo teve calorosa acolhida do público. A essa criação se seguiram eventos performáticos como " The Rocky Horror - A Festa", "Grite, Grite Outra Vez" (combinando leituras poéticas com intervenções sonoras), o espetáculo, "Nossa Cidade - uma Peça para Acampamentos" (2012), um curta-metragem ficcional "Uma Fábula em Eldorado" e "Hamlet: Solo" (2013). Em 2015, o Coletivo Soul inaugurou sua sede, espaço multicultural, premiado pelo Edital das Artes da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, onde desenvolve atividades de teatro, audiovisual, arte-galeria, eventos musicais, cursos, oficinas, brechós, simpósios etc.

Sinopse do espetáculo
"A Terceira Margem do Rio" insinua a experiência de um teatro com sombras, onde a presença é deslocada para recortar a potência de ausências (impotência), na contraposição artística de sensorialidades evocadas no conto homônimo de Guimarães Rosa. 

Ficha técnica
Elenco: Geórgia Dielle, Evan Teixeira, Magno Carvalho, André Feitosa, Janaina Marcout e Edicleison Freitas. Direção: Thiago Arrais. 
 

Teatro das Marias
21:00H | Quintal | Cia Circo Lúdico Experimental | Dança

A Cia Circo Lúdico Experimental (CLE) surge em 2007, na cidade de Fortaleza. Ao longo da trajetória tem experimentado criar em um território em que as margens entre as linguagens cênicas se encontram dissolvidas, transitando entre o circo, o teatro e a música.  Os espetáculos Às Avessas (2007), inspirado no conto Primeira Dor de Franz Kafka, Um tiquinho de Nada (2008), Erêndira (2010) e E o trem partiu (2011) ganharam acolhida do público, assim como premiações e editais, sendo apresentados em diversos espaços.  

Sinopse do espetáculo
Quintal, uma pausa no fluxo intenso da cidade para ampliar o olhar para a pequenez das coisas, pés descalços, balanço, fazer brinquedo com as palavras, fazer palavra virar corpo. Deter-se a observar, dar às coisas uma volta inteira, margear, imaginar, inventar modos de olhar, transver o mundo. Um espetáculo inspirado na obra de Manuel de Barros.

Ficha técnica
Direção: Sâmia Bittencourt. Acrobatas: Danielle Freitas, Samara Garcia e Sâmia Bittencourt. Técnico de som e luz: Fábio Silva. Trilha sonora: Daniel Groove. Designer Gráfico: Diogo Braga. Iluminação: Walter Façanha
 

Palco José Avelino
21:15H | Baile do Gallo | Nego Gallo | Música

Nego Gallo é um rapper, compositor nascido no Rio de Janeiro. Conhecida figura do cenário do rap, Carlos Gallo, também conhecido como Nego Gallo, teve o primeiro contato com o rap em 1999, em Fortaleza, cidade em que mora desde 1984. Ao longo da trajetória participou do grupo Brigada e do grupo Costa a Costa, com destaque na cena nacional. 
Nego Gallo já realizou parcerias com diversos artistas em CDs e shows, além do lançamento de EPs e singles ao longo da sua trajetória. Em suas letras, as experiências cotidianas e a realidade de Fortaleza se fazem presentes. Entre os singles, Bang Bang, Leões Rugem e, recentemente, Surto, que tem produção musical do rapper Côro Mc.

Palco Draga Dragão
21:15H | GhettoRootsTraficandoPoesias | GhettoRoots | Música

GhettoRoots nasceu da mistura da cultura reggae com a linguagem urbana da cultura hip-hop, em 2007 na favela do Dendê, em Fortaleza,Ceará. Com o intuito de incentivar o protagonismo juvenil através da arte, as músicas levam mensagens positivas e prega a cultura de paz, a superação e o respeito à vida.
Tem como base o compromisso com a arte, que é a maior ferramenta de transformação social para a conscientização das pessoas, captando a essência do gueto nas mais diversas formas de apropriação da cultura nas periferias. Para contar essa história, Carolina Rebouças, Gabriela Savir, Roni Flow e Rodrigo Revolução se unem numa só poesia, em um espetáculo com músicas autorais e estilo diversificado.
O grupo tem como inspiração, o trabalho realizado pelo  MC Renan Inquérito, que distribui pinos poéticos em suas apresentações, utilizando ao  seu favor as vivências da rua e a linguagem marginal, faz a distribuição de poesias enroladas para o público durante o espetáculo.

Palco Praça Verde
21:30H | Lançamento da Turnê Comemorativa de 20 anos | Cidadão Instigado | Música

A banda cearense Cidadão Instigado completa 20 anos de uma trajetória marcada por uma sonoridade única que conquistou público e críticos por todo o Brasil.  Para celebrar as duas décadas de música e história, o Cidadão lança, na Maloca Dragão, a turnê comemorativa com repertório que reúne uma síntese da discografia da banda. Com formação inédita e participações especiais, a comemoração conta também com o lançamento dos quatro discos em formato vinil.
Com percurso iniciado com a reunião de jovens músicos em uma garagem do bairro Varjota, em Fortaleza, a banda vem celebrando parcerias com artistas e produtores nacionais, como Céu, Otto, Karina Burh, Arnaldo Antunes. Ao longo dos 20 anos de atuação foram lançados: Cidadão Instigado EP (2000), O Ciclo Da Dê.Cadência (2002), Cidadão Instigado E O Método Tufo De Experiências (2005), UHUUU! (2009) e Fortaleza (2015). Este último, em um processo de envolvimento e olhar para a cidade de origem, ganhou o Prêmio Multishow na categoria Melhor Disco.
A banda Cidadão Instigado é formada por Fernando Catatau (voz e guitarra), Regis Damasceno (baixo e vocal), Clayton Martin (bateria e vocal), Dustan Gallas (teclados, guitarra e vocal), Rian Batista (violão e teclados), Yuri Kalil (efeitos e PA).

Palco Anfiteatro
22:00H | Aldo Sena e a guitarra cearense | Aldo Sena | Música

Aldo Sena e a Guitarra Cearense é um show criado especialmente para a Maloca Dragão 2017 e que marca uma nova fase do Mestre da Guitarrada. Nesse show teremos as composições do Mestre interpretadas não só por ele , mas também por alguns convidados especiais que fizeram e fazem história na música cearense, tendo como instrumento principal a guitarra. Dentre os convidados temos Carlinhos Patriolino, Saulo Duarte e Cristiano Pinho. O show tem direção artística de Daniel Groove e produção da Koisa & Tao Produções.
 

Teatro Sesc Iracema
22:00H | Ibirapema, o forró que eu faltei | Omì Cia de Dança | Dança

A Omì Cia de Dança é um grupo criado em 2008, em Fortaleza (CE), que desenvolve a dança cênica baseada nos estudos técnicos e sociais da danças a dois. O grupo começou sua trajetória com o diretor Éder Soares, que reuniu bailarinos de dança de salão para desenvolver trabalhos artísticos em diálogo com a hibridização com outras danças. Entre os trabalhos cênicos realizados pelo grupo estão As Quatro Estações, Fidelidade da Dor (2010), Mais Profundo é a Pele (2012). Para o mais recente trabalho, Ibirapema, o forró que eu faltei, o grupo contou com o Laboratório de Criação do Porto Iracema das Artes, em 2016.  

Sinopse do espetáculo
Entre danças, toques e cantos, a memória ancestral é narrada pelo mungango criativo dos corpos. Em busca de uma importante retomada histórica: o rico movimento cultural do Forró. A Omì Cia de Dança articula elementos das tradições populares por intermédio de uma dramaturgia contemporânea, que de forma cativante e indispensável, nos leva de volta pra casa.

Ficha Técnica
Direção Geral: Éder Soares. Co-direção: Clarissa Costa. Bailarinos: Jhon Morais, G Duarte, Victória Andrade, Luciene Feitosa, Vicente Mesquita, Jéssica Cruz, Clarissa Costa e Éder Soares, Comunicação Visual: Tim Oliveira (CE). Figurinos: Paulo José (PE). Aderecista: Gutto Moreira (CE). Trilha Original: Vinicius Pereira (SP), Nathanael Sousa (SP) e Marcenildo Duarte (CE). Direção Musical: Helder Vasconcelos (PE). Iluminação: Walter Façanha (CE). Iluminotécnica: Ivna Ferreira (CE) 
 

Palco Draga Dragão
22:15H | | Karol Conka | Música

A cantora curitibana Karol Conka vem conquistado cada vez mais espaço na cena musical brasileira com seu som inovador. Com a proposta de fazer um rap com sonoridade universal, aliando batidas pesadas a timbres orgânicos, o som da artista ganhou novas influências com a parceira com o duo Tropkillaz, produtores do seu novo álbum. 
A potência e batida da sua música, o carisma e as letras que refletem suas opiniões sobre o mundo fazem com que a artista acumule fãs e visibilidade. Músicas como Tombei, O Poder, Maracutaia e Farofei apontam para sua característica assinatura artística. As quatro músicas fazem parte do novo álbum, Ambulante, que será lançado em 2017. O disco sucede Batuke Freak lançado em 2013, mesmo ano em que foi vencedora da categoria Artista Revelação no Prêmio Multishow. No show, ela se apresenta ao lado do DJ Hadji, cantando essas músicas e vários outros sucessos, como Boa Noite e Toda Doida.
 

Oca Maloca
23:00H | | Ivan Timbó | Música

Ivan Timbó é instrumentista e produtor musical, iniciou sua carreira profissional em 2007, quando fundou o estúdio e selo de gravação SEPASSANDO rec. Lançou dois discos entre 2010 e 2014, Voltas é seu primeiro, seguido de Devaneios. E em 2017 prepara o lançamento de seu terceiro álbum. A proposta aqui apresentada visa o contemplar o show de lançamento do novo álbum de Ivan Timbó, dentro do Festival Maloca Dragão. Seu último trabalho apresenta um recorte de suas composições, passando por diferentes estilos, como o piano elétrico que Timbó acompanha de seus tradicionais baixo e bateria, deixando de lado os recursos da música eletrônica, bastante presentes em seus discos. O álbum é recheado de participações especiais e vem uma sonoridade peculiar, vai ser lançado em discos de vinil e fita cassete. 


// Dia 29 de Abril | Sábado
Maloca Parties Amici's
00:00H | | La Tabaquera | Música

La Tabaquera é uma festa que roda o Brasil desde 2011, onde Caçapa bota o som e Alessandra Leão bota os vídeos. Sob a ordem de Libera a Pélvis!, a festa traz músicas e vídeos dançantes do Caribe, América do Sul e África como forma de celebrar manifestações culturais contra hegemônicas e oferecer ao público uma opção diversificada de festa, onde entretenimento e fruição artística não se dissociam.
 

Maloca Parties Órbita
00:00H | | Ninad | Música

Nascido na Argentina e vivendo no Brasil desde meados dos anos 1990, Ninad é um dos pioneiros do movimento Psytrance brasileiro. Uma das metades do duo Yagé, um dos projetos mais originais e conhecidos da América Latina. Suas apresentações no formato live act, promovem perfeita simbiose entre a psicodelia e inovação musical. Já tocou em muitos dos maiores festivais do mundo, como Sonica (Itália), Voov (Alemanha) e Universo Paralello (Brasil). Também é guitarrista há mais de 15 anos no círculo de Ayahuasca do Templo Mãe DÁgua e se empenha na pesquisa e produção de músicas tribais amazônicas, viajando para a selva para gravar as canções sagradas de Huni Kui Etnie.

Maloca Parties Órbita
01:00H | | DJ Stereologic | Música

Ivan Mariano é a mente responsável pelo projeto Stereologic. O DJ e produtor cearense teve seu primeiro contato com as pick-ups em 2005, com DJ sets tecnicamente bem trabalhados. Em 2012, sentindo uma necessidade de expandir os horizontes de sua carreira, Ivan deu os primeiros passos na produção musical adentrando no Psychedelic Trance. 

Maloca Parties Órbita
02:00H | | DJ Caious | Música

Caio Lima Lopes, DJ Caious, é um DJ e produtor natural de Fortaleza. Influenciado pelo cenário musical underground, ele teve o primeiro contato com o trance em 2008. Frequentando festas e festivais do gênero por alguns anos, passou a atuar como DJ em 2013.  
Reunindo apresentações em festas locais e fora do Ceará, entrou no casting de artistas da ZIOHM em 2014. A partir de 2015, entra para a gravadora Spirit Records. 

Maloca Parties Órbita
03:30H | | DJ Luca | Música

Conhecido pelo vasto trabalho de pesquisa e mixagem, Luca é italiano radicado no Ceará. Em 1993, imerge em festa eletrônicas e logo se apaixona pelo estilo de música.Todos seus sets seguem sempre uma linha psicodélica séria e agressiva, conduzindo os dancefloors para experiências transcendentais.
 

Maloca Parties Órbita
05:00H | | DJ Earthspace | Música

Earthspace é um nome que vem crescendo e se consolidando na cena do psytrance mundial. Matheus Nogueira, músico e produtor de Fortaleza, está por trás do projeto. O trabalho vem se consolidando e ganhando projeção nacional e internacional com a participação em diversos eventos e festivais na cena eletrônica. Parcerias também fazem parte do percurso do DJ, que vem realizando turnês pelo Brasil e Europa nos últimos anos. Faz parte do Nano Records, selos de psytrance com vasto grupo de artistas conceituados no circuito mundial. O álbum de estreia, Hand of the Witch, uma colaboração com Magik, será lançado em 2017. 
 

Maloca Parties Órbita
06:00H | | Yagé | Música

 Uma sonoridade selvagem e climas envolventes, um groove poderoso e fortemente dançante, combinados de forma equilibrada e original com vocais hipnóticos, percussões quentes, sons sintetizados altamente psicodélicos e instrumentos étnicos, dão a Yagé uma personalidade única e um espaço próprio no universo do psy trance. Integrado por Ninad, produtor que ao vivo controla sequencers, sinthes e efeitos e pela flautista e vocalista Raghini, enfeitiçando a audiência com suas melodias vibrantes, Yagé oferece um live act no verdadeiro sentido da palavra.  O som potente e de alta definição já levou ao delírio pistas de dança de muitos dos maiores festivais de trance do mundo (Sonica, Voov Experience, Transcendence, Universo Paralello, Monte Mapu, Moonflower), assim como incontáveis festas.
 

Arena Dragão do Mar
15:30H | Puxa! Era uma Bruxa!? | Rebeka Lúcio | Infantil

Rebeka Lúcio é contadora de histórias e atriz-pesquisadora, formada em Artes Cênicas pelo curso superior do Instituto Federal do Ceará (IFCE) e pelo curso de Letras da Universidade Estadual do Ceará (UECE). A atriz começou sua carreira em 2003 e, desde então, realiza cursos e oficinas constantemente, participando de festivais e mostras. Como arte-educadora já ensinou em escolas públicas e particulares de Fortaleza, ministrou cursos de formação de professores na capital e no interior do estado  e lecionou diversas oficinas teatrais em variados espaços culturais, dentre eles o Centro Cultural Banco do Nordeste, o Centro Cultural Bom Jardim, o Teatro da Praia, a Universidade das Artes, o Instituto Federal do Ceará etc. 

Síntese da proposta
A contação de histórias Puxa! Era uma bruxa?! é uma adaptação de contos populares de bruxas malvadas ou nem tão maléficas. Nariz com verruga? Maçã envenenada? Cabelo espetado? Vestido preto e feitiços malignos? Espelho, espelho meu, quem é mais bonita do que eu? Será que só existe uma versão da história? Qual seria o outro lado? Será que a bruxa não é apenas alguém que muitas vezes é mal entendida? Que teve alguma frustração? Pelo que se derrete essa princesa às avessas que dizem ter coração de gelo? Em "Puxa! Era...Uma bruxa?!?" 

Arena Dragão do Mar
17:00H | Rodoró | Elisabeth Pacheco | Literatura

As narrativas que levam o público a um rodoró de histórias, termo cunhado na região do Cariri cearense para apelidar redemoinhos (turbilhões de vento) ou para dizer de algo que se encontra em movimento circular. A metáfora do rodoró para designar as narrativas é argumentada por Elisabeth Pacheco, contadora de histórias e produtora cultural, formada em Pedagogia pela URCA e idealizadora da Mostra Nacional de Contadores de Histórias nas Terras do Cariri. A diversidade de elementos narrativos como os contos, mitos, lenda, textos literários e recolha de histórias, feitas junto aos narradores da tradição, fazem parte do repertório da contadora. 

Síntese da proposta
O Rodoró de histórias é um giro de narrativas cuidadosamente selecionadas, e por meio delas o público poderá conhecer um pouco das histórias contadas e recontadas por diversas referências das narrativas escritas e orais. 

Ficha Técnica
Contação: Elisabeth Pacheco
 

Teatro Dragão do Mar
17:00H | Praia das Almas | Paracuru Cia de Dança | Dança

Realizado como exercício coreográfico do paulista Jorge Garcia para a Paracuru Cia de Dança nos "Percursos de Criação" da Bienal Internacional de Dança do Ceará de 2015. Praia das Almas tem como referência de pesquisa o local onde, no final do Século XIX, estava a Vila do Parazinho, origem da cidade de Paracuru. Soterrada pelas dunas, casas, praças e ruas da antiga Vila fazem parte da memória desse povo do interior do Ceará. Local de nascimento de Antônio Sales foi a inspiração do poeta no livro Aves de Arribação, ao ver sua vila natal ser encoberta pela areia das dunas.

Sinopse do espetáculo
Metaforicamente, Praia das Almas traz para os corpos dos bailarinos a conexão dos ventos,a percepção do movimento dos grãos de areia, como eles fluem ou se comprimem e dependendo da ação dos ventos vão se agrupando de forma assimétrica sobre a Vila do Parazinho, soterrada no século XIX e que jamais será revelada.

Ficha Ténica
Direção: Flávio Sampaio. Coreografia: Jorge Garcia. Música: Etran Finatwa, Ali FarkaTouré e Ry Cooder - Musiques de Mali e The Doors. Edição: Éder O Rocha. Desenho de luz: Jorge Garcia. Iluminação: Eduardo Teixeira. Figurinos: Marina Carleial. Fotografia: Luis Alves e Celso Oliveira. Bailarinos: Jamerson Renan, Joab Tafarel, Priscila Castro, Natanny Dheinny, Rochele Conde, Romário Santiago e Walef Rocha.
 

Arena Dragão do Mar
18:00H | | Dança de Salão | Dança

Os alunos do Curso Técnico em Dança (CTD) da Escola Porto Iracema das Artes realizam apresentaçãoem comemoração ao Dia Internacional da Dança. No evento, diferentes estilos de dança serão apresentadas para o público em uma ação de troca de experiências relacionadas à data celebrada.

As ações que serão conduzidas pela bailarina Cláudia Pires, coordenadora do CTD e Laboratório de Dança da Escola Porto Iracema das Artes, e pelo Projeto Improvisa, oriundo do Curso de Graduação em Dança da Universidade Federal do Ceará (UFC), prometem fazer uma integração entre os participantes além da reflexão acerca da importância da celebração dessa data.

Oca Maloca
18:00H | Boi Paz no Mundo | Grupo de Reisado Boi Paz no Mundo | Cultura Popular

O grupo de Reisado Boi Paz no Mundo é natural de Sobral (CE) e realiza apresentações folclóricas nordestinas. O grupo surgiu em 2010 como forma de manter a tradição popular e realizar homenagem e memória de Mestre Panteca, avô dos fundadores, como uma herança cultural para filhos e netos. 
 

Teatro das Marias
18:00H | Na Colônia Penal | Cangaias Coletivo Teatral | Teatro

Atuando desde 2012 em Fortaleza, o Cangaias Coletivo Teatral surgiu da Trupe Cangaias de Teatro. Em seu repertório constam peças adultas e infantis. Já participou de grandes festivais com as peças Balões - eu te amo, Miau! e Na Colônia Penal, da obra de Franz Kafka. O último espetáculo, lançado em 2015, tem adaptação de Rafael Barbosa e direção de Luis Carlos Shinoda e é a primeira encenação cearense de um texto do autor tcheco. Em 2017, o grupo lançou o Curso Livre de Práticas Teatrais para atores e não-atores que buscam o teatro como um meio de desenvolvimento lúdico e criativo. O Grupo é composto por Adonai Elias, Angélica Nunes e Luis Carlos Shinoda 

Sinopse do espetáculo
Um Oficial de justiça residente da colônia apresenta à um Explorador estrangeiro a utilização de uma máquina de punição e tortura. São levados à máquina todos aqueles que desobedecem as leis. Para o Oficial, o aparelho punitivo é apenas um ideal de justiça e necessário para mantimento da ordem. A opinião do Estrangeiro pode ser essencial para a vigência ou não desse sistema. 

Ficha técnica
Texto: Franz Kafka. Direção e Cenografia: Luís Carlos Shinoda. Adaptação dramatúrgica: Rafael Barbosa. Elenco: Angélica Nunes e Luís Carlos Shinoda. 
 

Teatro Sesc Iracema
18:00H | Auto-matismos | Acauã Pessoa, Andréia Pires, Diego Salvador, Victor Macdowell | Dança

"Auto-matismos" surgiu no contexto da terceira turma do Curso Técnico em Dança e logo depois foi desenvolvido no projeto da Vila das Artes chamado Ateliê de Composição Coreográfica e Processos Criativos em Dança, estudando a corporeidade de seus integrantes, no caso artistas independentes com formação em dança e teatro. Inspirado nas reflexões sobre uma lógica da coexistência, a base do processo busca um trabalho de des-automatização e abertura dos corpos, potencializando a porosidade, desmontando a memória-hábito e fazendo outras danças fluírem. A peça desmembra, rearticula e revela a interação do corpo com as imagens que sustentam em alguma medida a rotulação dos comportamentos da sociedade, criando pequenos contra-dispositivos em que as regras, posturas, imagens se entrechocam e contradizem, havendo um desacordo ao o que é automático. 

Sinopse
Da ilusão de movimento ao cancelamento dos automatismos dos corpos fortalezas-vazias aos modos de re-existência dos auto-moveis a des-cisão.

Ficha técnica
Direção: Victor MacDowell. Elenco: Acauã Pessoa, Andreia Pires,Diego Salvador, Victor MacDowell. Direção Técnica e Iluminação: Walter Façanha. Produtor: Michell Barros. 

Ruas no entorno do Dragão do Mar
18:00H | O Imaginário Criador e sua Barata Mágica | Trupe Motim de Teatro | Teatro

A Trupe Motim de Teatro é sediada na cidade de Quixeré, interior do Ceará. O grupo se pauta por uma linha de pesquisa e experimentações estéticas em ruas e espaços não convencionais, como ruínas abandonadas e galpões de feiras, que resultaram em performances como "Dinheiro Vivo" e "Mercado Da Carne" e espetáculos como ''Rabisco de uma Quase Existência, "Animus", "Zoo Ilógico", assim como os curta-metragens "Criação de Porcos", "Gaiola" e "Anhamun -O Cordel Mágico Dos Encouraçados". O novo trabalho da Trupe é o espetáculo "Imaginário Criador",  resultado do Laboratório de Criação do Porto Iracema das Artes. 

Sinopse do espetáculo
A gente sempre espera que uma história seja que nem bicho: tenha cabeça, corpo e rabo. Mas eu conheço uma porção de bichos que não tem rabo. Como, por exemplo, as baratas. E de barata eu entendo, porque brinquei por muito tempo com elas. Cheguei a criar uma. E assim como ela, fiz nos ferros velhos, os cemitérios do tempo, virarem ouro.

Ficha Técnica
Interlocução artística: Luciano Wieser. Dramaturgia: Henrique Oliveira, Jéssica Teixeira, Luciano Wieser. Direção: Jéssica Teixeira. Direção de arte: Henrique Oliveira. Direção musical e sonoplastia: Rami Freitas. Elenco: Diego Anderson, Henrique Oliveira. Figurino: Antônio Manoel (Toinho), Henrique Oliveira. Cenotecnia: Antônio Manoel (Toinho), Diego Anderson, Geovânio Ribeiro, Henrique Oliveira, Marcelo Papel. Soldador: Nêgo. Designer Gráfico: Henrique Oliveira. Produção: Jéssica Teixeira.
 

Ruas no entorno do Dragão do Mar
18:00H | Sem título | Gabriel Silva | Arte Urbana

Gabriel Silva Rodrigues é um artista visual que realiza grafites nas ruas de Fortaleza. Com o primeiro contato com o spray ainda em 2003, passou a se integrar ao movimento crescente do grafite na cidade. Já participou de eventos como a Semana do Graffiti de Fortaleza e o Festival Concreto, assim como de exposições em galerias e museus locais ao longo da sua trajetória. O trabalho realizado nas ruas da cidade, que ele aponta como processo de válvula de escape, está focado, especialmente, em  rostos femininos em preto e cinza com detalhes chicanos, usando um estilo realista que o artista continua a estudar e se aperfeiçoar.
 

Palco José Avelino
18:20H | | Subcelebs | Música

Formado em 2015, o quarteto fortalezense Subcelebs traz a pegada do indie pop combinando melodias cantadas, bateria pesada, baixo distorcido, guitarras quase limpas e sintetizadores que brincam com as possibilidades de sonoridade. As faixas Manifesto, Galera Paia, Corações Avariados e Azedou fazem parte do primeiro EP, gravado pelo Mocker Studio e lançado no primeiro ano de atuação da banda. Em 2016, foi lançado o single Jeff Tweedy (Ele é o cara)
 

Palco Rogaciano Leite Filho
19:00H | Vida Longa e Próspera | Aderiva | Música

Banda de rock autoral cearense, tem como proposta misturar estilos de rock mais pesados, com a pegada do Hardcore e do Heavy Metal. Criada em Fortaleza, no início de 1999, a banda gravou dois EPs, entrando em um longo hiato e retornando em 2015 com nova formação.

Em 2016,  Aderiva lança o EP Vida Longa e Próspera, atingindo uma boa repercussão na cena do rock em Fortaleza. Aderiva é composta por Harrison Farias (Vocal e Guitarra), Tonioni Havana (Baixo e Vocais), Kiko Vasconcelos (Guitarra) e Leandro Osterne (Bateria).
 

Palco Draga Dragão
19:00H | | Capitão Eu e os Piratas Vingativos | Música

Surgida em 2012, a banda Capitão Eu e os Piratas Vingativos mistura influências do rock, dos ritmos brasileiros e da poesia que busca descrever a realidade das experiências vividas na cidade natal, Fortaleza, compondo assim a cena autoral da região. 
O primeiro CD, O Melhor Lugar do Mundo, foi apresentado em 2013, após o lançamento de dois EPs. Em 2014, a música Revolução Esferográfica foi a escolhida para a gravação do primeiro videoclipe. O segundo trabalho da banda está sendo preparado para o segundo semestre de 2017. No primeiro trimestre de 2017, o clipe Aurora foi disponibilizado pela banda. 
Além de ter passado por diversos palcos do circuito musical cearense, Capitão Eu e os Piratas Vingativos já tocou em festivais como Ceará Music, em Fortaleza, Grito Rock, em Mossoró (RN), Mostra Autoral Brasileiríssimos, em Natal (RN). Nesse percurso, também dividiu palco com artistas como Humberto Gessinger, Boogarins e Felipe Cordeiro. 
 

Palco Anfiteatro
19:00H | Spacelapse | Lilt | Música

Imagine viajar pelas ondas sonoras do espaço. Imagine um universo curioso, inabitado, a ser explorado. Uma fusão rock, noise, fusion, instrumental. É o que seu ouvido disser. Com a proposta de apresentar uma sonoridade marcante, o power trio se lança em 2015 como uma banda experimental. Synths, beats, grooves, linhas de baixo bem definidas e guitarras versáteis são as marcas da banda. A ideia é passear por diversos estilos, explorar elementos e desconstruir formatos. A resposta disso tudo está em cada música. É na ausência das letras que o freestyle se faz presente. Um som sem limites, sem rótulos, sem frescura.
EP de estreia da LILT. Sonoridade marcante do começo ao fim. Composto por efeitos,melodias, guitarras vibrantes, grooves e beats cadenciados. Um som para viajar, literalmente, pelo espaço. Destaque para os áudios extraídos da Nasa que funcionam como textura para as músicas. São cinco faixas que mostram a versatilidade e a energia do grupo, composto por Paulo Tomé (guitarra e sintetizador), Jones Sampaio (baixo) e Léo Almeida (bateria e percussão).
 

Arena Dragão do Mar
19:00H | | Batalha Hip Hop | Dança

Os alunos do Curso Técnico em Dança (CTD) da Escola Porto Iracema das Artes realizam apresentaçãoem comemoração ao Dia Internacional da Dança. No evento, diferentes estilos de dança serão apresentadas para o público em uma ação de troca de experiências relacionadas à data celebrada.

As ações que serão conduzidas pela bailarina Cláudia Pires, coordenadora do CTD e Laboratório de Dança da Escola Porto Iracema das Artes, e pelo Projeto Improvisa, oriundo do Curso de Graduação em Dança da Universidade Federal do Ceará (UFC), prometem fazer uma integração entre os participantes além da reflexão acerca da importância da celebração dessa data.

Batalha Hip Hop
A dança hip hop refere-se aos estilos de dança sociais ou coreografados relacionados à música e à cultura hip hop. O que diferencia a dança hip hop de outros tipos de dança é o freestyle (improvisação) e os seus dançarinos frequentemente estarem envolvidos em batalhas ? competições de dança formais ou informais. Sessões informais e batalhas de freestyle são geralmente realizados em um cipher, um espaço de dança circular que se forma naturalmente quando a dança inicia. Os três elementos ? freestyle, batalhas e ciphers ? são os componentes da dança hip hop.

Cinema do Dragão
19:00H | ITS ALL TRUE + seminário EDOUARD LUNTZ EM FORTALEZA E CANOA QUEBRADA | Mostra de Cinema Documental: Fronteiras e Verdades | Cinema

Sábado (29/04) 19h00: ITS ALL TRUE + seminário EDOUARD LUNTZ EM FORTALEZA E CANOA QUEBRADA. Exibição do documentário baseado na obra inacabada de Orson Welles, seguido do seminário EDOUARD LUNTZ EM FORTALEZA E CANOA QUEBRADA: FRAGMENTOS DE OPERAÇÃO TUMULTO, onde serão apresentados fragmentos do documentário homônimo que investiga a vinda do cineasta Edouard Luntz ao litoral cearense nos anos 60 para dirigir um filme que foi lançado e imediatamente censurado e recolhido pela Fox. O seminário será ministrado pelo professor da UFC e diretor Alexandre Fleming.

Oca Maloca
19:00H | Projeto Espezinhar | Artur Dória | Arte Urbana

Gavetas, mesa, máquina de escrever, cadeira e a presença do performer. Artur Dória se une e se choca com esses elementos, encontrando a multidão e a solidão, pelas pedras, areia, água, lixo e folhas secas, nas ruas, no espaço público, nas pessoas. O espaço íntimo, tido primordialmente como lugar de resguardo e privacidade, não se contém e se aproxima, introduzindo uma intimidade com o espaço público. A performance-experimentação de Arthur versa com a necessidade dileta de despir-se dos segredos. Não há segredo nas gavetas, estão todas abertas, são feridas da rua, quadros em que se pode adentrar.

Sinopse
Gavetas colhidas da rua estão dispostas no espaço. Cada uma delas exibe um material específico. Próximo a estas, uma mesa, sobre ela, uma máquina de escrever e uma cadeira. O performer caminha pisando somente dentro das gavetas até chegar à máquina, experimentando, sem pressa, os seus conteúdos. Ele senta, sente e escreve o que desejar. A ação se repete conforme a necessidade do performer.
 

Escola Porto Iracema
19:00H | A Mancha Roxa | Grupo Imagens de Teatro | Teatro

Com 15 anos de atuação em Fortaleza, o Grupo Imagens de Teatro reúne em sua trajetória espetáculos intensos que conquistam público e crítica. Com foco no teatro realista e em pesquisas sobre os submundos possíveis nas realidades vivenciadas, assim como afinação com os textos do dramaturgo Plínio Marcos, o grupo já se apresentou em diversos festivais no Brasil. Entre os espetáculos montados, estão Dois Perdidos numa Noite Suja, Navalha na Carne, Abajur Lilás, Dr. Qorpo, muitos deles se mantiveram em cartaz por muitos anos em espaços da capital cearense. 

Sinopse do espetáculo
A Mancha Roxa apresenta a convivência entre sete presidiárias em uma cela especial. No convívio, descobrem ser portadoras de uma doença. Em meio a relações de opressão, violência, amor e rebeldia entre elas e a carcereira, a trama se mostra ainda mais complexa quando  descobrem que uma das detentas, ao contrário do que pensavam, não possui o vírus e, desse momento em diante, passa a ser perseguida.

Ficha Técnica
Texto: Plínio Marcos. Direção, assessoria e produção: Edson Cândido. Elenco: Kátia Camila, 
Tarciana Castelo Branco, Cintia Daisy, Larissa Montenegro, Leila Ramos, Kekel Abreu, Luiza Pontes, Luz Ciel Carvalho. 
 

Palco Praça Verde
19:30H | | Women of Reggae | Música

O coletivo Women of Reggae reúne seletoras de Fortaleza em um projeto de fortalecimento, difusão e empoderamento feminino por meio do reggae e das mensagens da música de origem jamaicana.
As seletoras do Coletivo, colecionadoras de registros reggae em vinil, iniciaram suas atividades no mesmo período e representam um novo período de destaque do movimento feminino no reggae e nas pistas das festas e eventos. O encontro reúne Betty Silverio (Roots and Culture), Indira Marley (Reggae da Diretoria), Jordanna Thiellys, Manu Star, Lady Luh, Pabliana Jah e cantoras como Nayra Costa, Carolina Rebouças e Roberta Kaya.
 

Palco José Avelino
19:40H | Solarística | Sundogs | Música

Sundogs é uma banda independente autoral da cidade de Sobral, Ceará. Formada por Alisson Kyldare (Bateria), Douglas Rodrigues (Baixo), Diego Zick (guitarra solo e voz) e Thomaz Andrey (Voz e guitarra), o grupo aposta em uma nova roupagem, mais arrojada e madura. Em suas canções, imprimem letras que refletem sobre a existência e os dramas da vida cotidiana, poesia que se soma a uma pegada grunge e à experiência de 11 anos atuando na cena da música independente do interior do Ceará. O quarteto atualmente está circulando seu primeiro CD intitulado Solarística.

Palco Praça Verde
20:00H | Quebrando o Silêncio do Medo | Somos Todas Marias | Arte Urbana

O Grupo de Teatro Somos Todas Marias surgiu de movimentos populares feministas do Ceará, formado por jovens mulheres artistas de diversas periferias de Fortaleza em 2012. Trabalhando com as vertentes do Teatro Social e do Teatro Brincante, tem como objetivo dar visibilidade à pauta da mulher com a temática da violência de gênero e de raça, em comunidades com população em situação de vulnerabilidade social. A Instalação "Quebrando o Silêncio do Medo" cria espaços de discussão e experimentações para provocar o debate e gerar inquietações. Seu principal local de atuação é nas periferias, becos e favelas, sempre buscando fazer a ligação entre a vida em si e os espaços públicos (pólos culturais, praças, ruas e etc.), onde se possa agregar um maior número de pessoas que participem da performance.

Sinopse do espetáculo:
A cidade silenciosa desperta para o gritar assombroso de um sino inerte ocupando as ruas. A Instalação "Quebrando o Silêncio do Medo", representa a continuidade da pesquisa estética do grupo, que utiliza o sino como signo, com a proposta de construir um pensamento crítico sobre a violência de gênero e raça, através do empoderamento das mulheres.  Uma pergunta que atravessa. Ou será um pedido de socorro? A cidade tenta continuar sua rotina. O sino toca, a mulher chora. 

Ficha técnica:
Dhanny Marinho, é diretora e atriz em formação em Teatro pelo IFCE, Educadora Social e Militante dos Direitos Humanos. Joice Forte Gomes é atriz em formação em Teatro pelo IFCE, é Arte Educadora/Capoeirista

Oca Maloca
20:00H | Clube de Babananas | Rayane Mendes e Igor Cândico | Circo

Construído em uma perspectiva moderna da bufonaria, o Clube de Babananas é a ruptura das convenções amorosas. Desenvolvido pelo casal de palhaços Rayane Mendes e Igor Cândido, o número explora a sintetização do romantismo e o grotesco, gerando assim, um misto de sensações em seu público. O espetáculo resgata o humor ácido e burlesco dos cabarets europeus associado à palhaçaria cearense, trazendo à cena um casal que não hesita em compartilhar suas mais secretas intimidades,resultando em uma proposta moderna e hilariante. Rayane Mendes é atriz, palhaça e graduanda em teatro pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE); Igor Cândido é palhaço, designer gráfico e também estuda Teatro no IFCE.

Sinopse do espetáculo:
Abu e Lupita são um casal de apaixonados determinados a provar o seu amor a qualquer custo, mesmo que isso exponha suas mais profundas intimidades. Entre beijos, bebidas e bananas babadas, sejam todos bem-vindos ao Clube de Babananas, um número que vai fazer você vomitar de rir.

Ficha ténica:
Criação e atuação: Rayane Mendes e Igor Cândido
 

Oca Maloca
20:00H | Entre o coelho e a cartola | Mágico Jeffy | Infantil

O artista Mágico Jeffy apresenta seu mais novo espetáculo em experimentação Entre o coelho e a cartola. O espetáculo tem duração aproximada de 20 minutos e durante esse período a plateia será transportada para um mundo onde a imaginação pode levar a qualquer lugar, livre para todos os públicos. Desde 2010 o mágico Jeffy, ou simplesmente Jeffy, vem atuando na animação dos mais diversos tipos de eventos, contando em seu histórico desde participações em emissoras de TV, festivais internacionais, faculdades, entre outros. Conta com uma estética própria, construída a partir de números com intensa participação do público.

Sinopse do espetáculo
Durante o espetáculo Entre o Coelho e a Cartola são apresentados números clássicos da magia internacional usando sempre de narrativa própria, visando transportar os espectadores para dentro do show, com números que não só são realizados pela plateia como também com desfechos inusitados e surpreendentes.

Ficha técnica:
Mágico Jeffy: Jeffersson Alves Pereira 
 

Oca Maloca
20:00H | Sem Fio | Gabriela Jardim | Circo

Os dispositivos eletrônicos portáteis são produzidos cada vez mais com menos texturas. Touch screen, wireless, wi-fi. Os atravessamentos sonoros distorcem as percepções e nos guiam apáticos perante à modernidade, debilitando os sentidos. Sem Fio apresenta a condução de um número circense a partir desses conceitos. Baseada no tema Percepção, oriundo de uma experiência de Gabriela na faculdade de Psicologia, a artista passou a pesquisar movimentos na corda lisa, utilizando-se de uma versão editada peça musical Valsa das Flores, de Tchaikovsky, com efeitos de som oriundos de dispositivos e programas de comunicação (aparelhos eletrônicos portáteis, computadores, Facebook, Whatsapp etc.). 

Sinopse:
Os dispositivos eletrônicos portáteis são produzidos cada vez mais com menos texturas. Touch screen, wireless, wi-fi. Os atravessamentos sonoros distorcem as percepções e nos guiam apáticos perante à modernidade, debilitando os sentidos. Sem Fio, de Gabriela Jardim, é conduzido a partir desses atravessamentos sonoros, editados na música Valsa das Flores, de Tchaikovsky.

Ficha Técnica
Intérprete-Criadora: Gabriela Jardim. Produtor: Iago Domingos
 

Teatro Dragão do Mar
20:00H | Compilation | Cia Vatá | Dança

A Cia Vatá nasceu no Rio de Janeiro em 1994, onde atuou no mercado carioca e paulista por alguns anos. Em 2000, a companhia se constituiu genuinamente cearense, dirigida pela coreógrafa Valéria Pinheiro, a convite de Flávio Sampaio, docente responsável pelo curso de Dança da Universidade Gama Filho. O espetáculo Compilation navega por códigos e ritmos dos folguedos do nordeste brasileiro, fundindo o sapateado americano ao coco, ao baião, ao frevo, ao maracatu, ao cabaçal e a outras manifestações folclóricas. É inspirado nas poesias de Ascenso Ferreira e Patativa do Assaré, e finca o corpo nas imagens dos barros de Mestre Vitalino, nos tempos esgarçados do sertão, nas bandas cabaçais, reisados e maracatus.   Durante 16 anos, sob direção artística de Valéria, a Cia Vatá vem de forma cuidadosa sedimentando seu território no Ceará, Brasil e mundo. Compilation já navegou por vários mares entre 2009 e 2016, sendo apresentado em diversos estados do  Brasil, por meio de editais, e no exterior, por festivais em Canadá e Nova Iorque. 

Sinopse do espetáculo
Compilation é, como próprio nome diz em inglês, uma compilação da obra da Cia Vatá, que de forma harmoniosa une coreografias criadas ao longo de 16 anos pela companhia, imprimindo uma dramaturgia maestrada por dois arquétipos: Mateus e Catirina. Nesse caminho, o  espetáculo se faz novo a cada ano. É uma obra aberta. Folia, música ao vivo de rabecas, alfaias e pianos, a poesia de Ascenso Ferreira e Dorival Pinheiro, ditam a linha do tempo.

Ficha técnica
Direção e coreografia: Valéria Pinheiro. Realização: Cia. Vatá. Integrantes: Valéria Pinheiro, Carina Santos, Rodrigo Claudino, Dayana Ferreira, Makito Vieira, Rafael Abreu, Heber Stalin. Direção musical: Rodrigo Claudino, Valéria Pinheiro, Makito Vieira. Figurinos: Paulo José. Operação de luz e palco: Fábio Oliveira. Fotos: Adriana Pimentel. Operação de som: Marco Sala. Direção de produção: Rosina Popp. Produção executiva: Sarah Matos. Assessoria de imprensa e comunicação: Kamila Rabelo. Vídeos: Marcelo Paes de Carvalho. Produção visual: Rodrigo Claudino.
 

Avenida Almirante Saldanha
20:00H | Ir Por Onde Flor | Eden Loro | Arte Urbana

Eden Loro é um artista visual que atua em Fortaleza buscando relacionar as intervenções de grafismo com o lugar de interesse para a obra. Já realizou séries de arte urbana com poemas de muro, como Mãos Feitas pra Construir com o grupo GRAFITICIDADE(2008), Ir Por Onde Flor (2013) e Aves Livres (2015). Identifica-se com a ação prática e rápida, buscando a utilização de materiais mais objetivos como, o estêncil, lambes e ilustrações de poucas cores, sem descartar, no entanto, a possibilidade de circular por outras vertentes

Sinopse
O Ir por onde flor é uma intervenção urbana de Eden Loro com a poesia de Sivirino de Cajú, que desde 2013 busca dialogar com a cidade e seus percursos urbanos por uma comunicação poética com a população transeunte de Fortaleza. Utiliza as técnicas da arte urbana (lambe-lambes, estêncil, signos e cores) para significar a cidade a partir de uma comunicação com a rua e seus desvios. É uma forma de intervir de maneira poética na cidade. 

Ruas no entorno do Dragão do Mar
20:00H | Devorando Heróis - a tragédia segundo os Pícaros | Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis | Teatro

O Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis é um grupo de teatro que atua na cidade de Fortaleza, no Ceará, desde o ano de 2011. Pesquisa a linguagem do teatro de rua vista pelo filtro da Picardia e da figura marginal do Pícaro. Um anti-herói por excelência, o Pícaro é aquele que subvertendo a lógica do poder estabelecido denuncia através de suas  ações de insurgência as mazelas e idiossincrasias de nossa sociedade. Em nossas montagens convidamos atores/performers/músicos e público a usufruírem e ocuparem o espaço público num encontro que mistura teatro, música,
performance e festa. 

Sinopse do espetáculo
Os Pícaros Incorrigíveis trazem nesse espetáculo as trágicas histórias de dois heróis da Grécia Antiga, Prometeu e Ájax. O grupo parte de uma leitura da clássica dramaturgia grega para chegar ao pícaro contemporâneo, um carnavalesco sopro de contestação ao cinza concreto da metrópole com seus corpos enrijecidos pela engrenagem do sistema. Um turbilhão de cores, corpos, imagens, ritmos, músicas, rasgam o espaço urbano para compor a picardia.

Ficha técnica
Texto: Beto Menêis. Direção: Murillo Ramos. Elenco: Alysson Lemos, Beto Menêis, Daniel Rocha, Junior Barreira, Moisés Filipe, Murillo Ramos, Paula Yemanjá e Pedro Caleb. 
 

Palco Draga Dragão
20:10H | Eu vejo você | Projeto Rivera | Música

Lançado em 2013, em Fortaleza, o Projeto Rivera reúne som alternativo com traços regionais, mesclando rock, MPB e baião. Em 2015, o grupo lançou o primeiro CD, Eu vim te trazer o sol com 13 faixas. Vídeos e intervenções urbanas com foco nas letras da banda também estão entre as atividades realizadas pelo quinteto. 
Em 2016, a banda foi contemplada no Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes e contou com a possibilidade de trabalhar no segundo álbum Eu vejo você. Projeto Rivera é formada por Victor Caliope (vocal), Bruno Santos (guitarra), Matheus Brasil (bateria) e Flávio Nascimento (guitarra).
 

Palco Rogaciano Leite Filho
20:20H | Where Do The Wild Dogs Live? | Old Books Room | Música

Banda de rock alternativo que experimenta guitarras furiosas, baixo pulsantes, bateria pesada e dinâmica, e sintetizador atmosférico na mistura do Indie Rock, ao Grunge, ao Shoegaze/Dream Pop. Presente na cena musical de Fortaleza desde 2011, Old books room é formada por Reinaldo Ferreira (guitarra/voz), Ricardo Ferreira (guitarra/voz), Diego Fidelis (baixo/backvocal), Felipe Portela (teclados), e Davy Nascimento (bateria), em Fortaleza no ano de 2011.

Com dois trabalhos de estúdio lançados, o CD Songs About Days (2014), e o EP The Last Angry Boys In Town (2015), a banda também está em fase de lançamento de seu terceiro material de estúdio, o EP Where Do The Wild Dogs Live?. 
 

Palco Praça Verde
20:45H | | Missão Miranda | Música

A banda de reggae Missão Miranda foi formada em meados dos anos 2000 na cidade do Crato, na região do Cariri, no Ceará. Com forte relação com o reggae raiz, o grupo possui repertório próprio e aborda mensagens positivas por meio da música. Algumas das influências da banda são Bob Marley, Groundation,The Congos. 
A banda Missão Miranda é formada por Eder Brown (bateria), Marcelo (voz e guitarra), Erilson (baixo), Erivan (teclado) e Nivando (sax). 
 

Palco José Avelino
21:00H | Zombie Walk | Lavage | Música

Desde 2003, a banda Lavage constrói uma trajetória na cena musical com proposta de redesenhar o punk rock clássico dos anos 70 e 80 em diálogo com uma estética própria. Surgida em Fortaleza, com seis álbuns e oito clipes gravados, além da experiência na cena de rock independente. Atualmente, a Lavage está divulgando seu mais recente trabalho, intitulado Zombie Walk, lançado em 2016. Eventos e festivais de música locais e nacionais fazem parte da história da Lavage, como Festival Ponto.CE, ForCaos, Mostra de Música de Fortaleza Petrúcio Maia, Rock Cordel, BH Indie, Palco do Rock de Salvador. 
Entre as influências da banda estão Ramones, Sex Pistols, The Clash, The Hives, Dead Boys etc. Lavage é composta por Bruno Andrade (vocal), Everardo Maia (guitarra), Rafael Maia (baixo), Rogério Ramos (bateria) e Glenio Mesquita (guitarra/backing vocal).
 

Palco Anfiteatro
21:00H | | Maquinas | Música

Composto por Samuel Carvalho, Allan Dias, Gabriel de Sousa, Guilherme Lins e Roberto Borges, Maquinas é influenciado por uma série de gêneros musicais. O grupo parte de muitas das sonoridades propostas pelo rock alternativo dos anos 1980 e 1990, além do experimentalismo e da livre improvisação, com pouca preocupação em seguir estéticas pré-estabelecidas. No meio das distorções e microfonias propostas em suas canções, há também a força e o interesse em uma construção musical a partir da calmaria, como instantes que antecipam uma tempestade. Estes elementos se acumulam, então, em uma experiência sonora que deseja transmitir sentimentos introspectivos que são carregados como fardos; impulsos juvenis, processos de amadurecimento, tomadas de consciência e pequenas válvulas de escape diante da vida real.
 

Teatro das Marias
21:00H | Transitórios | Cia Teatral Criando Arte | Teatro

A Cia Teatral Criando Arte iniciou sua trajetória em 2005, na cidade de Varjota, interior cearense. Em mais de uma década de existência, o grupo realizou diversos espetáculos, participando de festivais, realizando eventos em cidades da região e atuando em ações de promoção da arte e cultura por meio do teatro. A companhia também realiza montagens e estudos em teatro popular e contação de histórias. 

Sinopse do espetáculo
O espetáculo é composto de diversas cenas que, juntas, mostram os efeitos do tempo na vida humana. Fatias de vida de pessoas comuns são trazidas ao palco em tom nostálgico. Um passeio por situações distintas. Algumas dramáticas, outras divertidas... Histórias de encontros,  abandonos, expectativas, decepções e surpresas, que fazem parte da vida de qualquer pessoa.

Ficha técnica
Texto: Rafael Martins. Colaboração dramatúrgica: Mailson Furtado, Yuri Yamamoto e atores Direção: Mailson Furtado. Assistente de direção: Yane Cordeiro. Preparação corporal: Jorge Antônio. Direção musical: Betto Rodrigues e João Azevedo. Cenário e figurinos: Yuri Yamamoto. Iluminação: Renancio Monte. Elenco: Allan Mesquita, Betto Rodrigues, Emanuel Cruz, Félix Neto, Iva Matias, João Azevedo, João Paulo Silva, Jocely Ferreira, Jorge Antônio, Joycilene Rodrigues, Lara Melo, Mailson Furtado, Neto Duarte, Victor Salles, Yane Cordeiro, Nando Furtado (participação especial). 
 

Teatro Sesc Iracema
21:00H | Entre Contenções  / Como superar o grande cansaço? | Eduardo Fuskushima | Dança

Eduardo Fukushima é bailarino paulistano, trabalha como coreógrafo, dançarino e professor, formado em Dança pelo Curso Comunicação das Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC). Desde 2007 realiza pesquisa solo em dança contemporânea desde 2007, desenvolvendo cinco solos trabalhos, dentre eles estão Entre Contenções (2008) e Como superar o grande cansaço? (2009/2010).

Sinopse do espetáculo Entre Contenções
Uma peça curta de dança que se desenvolve a partir de três gestos. Tem como foco o movimento na sua crueza como possibilidades de comunicação, sem interfaces de elementos cênicos, sendo assim, com o básico de iluminação e figurino. Um corpo que explora a dificuldade verbal de comunicação e a incerteza através do movimento. Entre contenções há possibilidades de comunicação. Este solo foi desenvolvido no projeto DEZ SOLOS E REVERBAÇÕES de Key Zetta e cia, em 2008 e premiado pelo PROAC Circulação 2009 através do Coletivo de solos no projeto SOLOS E REVERBERAÇÕES. Também recebeu o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna em São Paulo.

Ficha Técnica
Direção, Criação e Dança: Eduardo Fukushima. Orientação de pesquisa: Key Sawao, Ricardo Iazzetta e Daniel Fagundes. Assistência artística Geral: Hideki Matsuka e Beatriz Sano. Apoio artístico: Luana Minari. Fotos: Mariana Teixeira e Marcelo Maffei. Fotos: Inês Corrêa. Filmagem: Ana Elisa Carramaschi. Direção Técnica e Operação: Calu Zabel. Produção: Carolina Goulart.

Sinopse do espetáculo Como superar o grande cansaço?
Um solo de dança de Eduardo Fukushima criada em 2010 com composição musical de Felipe Ribeiro. Um grande cansaço. No tempo. No ar. O corpo no chão. A partir do cansaço e sensações niilistas, surge a pergunta Como superar o grande cansaço?, sem pretensões de respostas, a pergunta é desenvolvida em linguagem corporal. A dança é a própria pergunta como vontade de potência e geradora de movimento. A performance é construída a partir de gestos e intenções dentro de uma qualidade de movimento específica aliada a repetição, chegando a um estado corporal meditativo que se desenvolve e permanece. Uma dança que existe no confronto com o cansaço, com a precariedade e fragilidade da vida. Uma dança que apesar do cansaço continua. Essa dança foi premiada com a bolsa de pesquisa em dança contemporânea Rumos Dança Itaú Cultural 2009/2010 e Difusão Rumos-Dança Itaú Cultural 2010/ 2011/2012. 

Ficha Técnica
Direção, Criação e Dança: Eduardo Fukushima. Orientação da pesquisa: Key Sawao. Criação sonora: Felipe Ribeiro e Eduardo Fukushima, inspirada em improviso de Henrique Iwao, Mário Del Nunzio e Jean-Pierre Carón. Assistência artística Geral: Hideki Matsuka e Beatriz Sano. Preparação corporal: Eduardo Fukushima. Fotografia: Inês Correa. Direção Técnica e Operação: Calu Zabel. Produção: Carolina Goulart.

Palco Draga Dragão
21:20H | As Bahias e a Cozinha Mineira Etc & Tal | As Bahias e a Cozinha Mineira | Música

As Bahias e a Cozinha Mineira é uma banda formada em São Paulo, em 2011. Os vocais poderosos das Bahia e a potência musical da Cozinha Mineira dialogam com a música brasileira e as inventividades possíveis a partir das particularidades e encontros. Mulher, disco de estreia lançado em 2015, aponta para o universo feminino, especialmente aquele que permeia a vida das mulheres negras, pobres, indígenas e transexuais, temática que atravessa o trabalho do grupo. 

A banda As Bahias e a Cozinha Mineira é formada por Assucena Assucena (compositora e intérprete), Raquel Virgínia (compositora e intérprete), Rafael Acerbi (arranjador e guitarrista), Rob Ashtoffen (baixista), Carlos Eduardo Samuel (tecladista), Vitor Coimbra (baterista) e Danilo Moura (percussionista).
 

Palco Praça Verde
21:50H | Confissões de um velho regueiro - Tribo de Jah 30 anos | Tribo de Jah | Música

Tribo de Jah, uma das bandas precursoras do reggae no Brasil, celebra 30 anos de carreira com o álbum e show Confissões de um velho regueiro. A banda maranhense icônica do reggae nacional compartilha com o público as experiências da trajetória com um álbum com 17 canções inéditas, mostrando a potência de sua música. O álbum conta ainda com a participação do filho do vocalista Fauzi Beydoun, Pedro Beydoun, que canta quatro músicas com a banda, próprias e em parceria com o pai. 
A Tribo de Jah é formada por Fauzi Beydoun (vocalista, guitarrista e compositor), Aquiles Rabelo Filho (baixista), Netto Enes (guitarrista, solo e vocais), João Rodrigues (baterista), Bives (tecladista) e  Pedro Beydoun (guitarrista e vocalista).
 

Palco Rogaciano Leite Filho
21:50H | Unbreakable | Nafandus | Música

A banda Nafandus mescla rock?n roll com elementos musicais relacionados ao nordeste brasileiro. Criada em 2012, em Fortaleza, as músicas da banda contam com inspirações sonoras e estéticas de referências como Black Sabbath e Led Zeppelin, assim como Stoner e Desert Rock. A banda também dialoga com elementos folk, percussivos e influência da música cearense. 
O show Unbreakable, nome do segundo EP da Nafandus, utiliza conceito visual de um cenário pós-apocalíptico e desértico, com inspiração nos personagens da franquia Mad Max, fazendo referência às lutas e dificuldades enfrentadas cotidianamente. 
Uma das vencedoras da VIII Mostra de Música Petrúcio Maia, em 2017, a banda é figura constante nos festivais de música. A Nafandus é formada por Claudine Albuquerque (vocal), Lucas Santiago (guitarra e vocal), Lucas Rodrigues (guitarra), Lucas Ravel (baixo e vocal) e Tiago Skilo (bateria e samplers). 
 

Oca Maloca
22:00H | | Naviguer | Música

Naviguer é um projeto lançado no ano de 2015, formado por Matheus Oliveira e Lucas Neto. O duo tem influências da banda Indie britânica The XX e da banda de rock psicodélico australiano Tame Impala. As músicas que têm um estilo psicodélico e variante do rock e trazem aos ouvintes uma sensação de viagem, subjetividade. Os instrumentos usados são guitarra, baixo e efeitos sonoros especiais.

Maloca Parties Biruta
22:00H | Sem título | Canoa em Cores | Arte Urbana

Canoa em Cores, originária de Canoa Quebrada (CE), é fundada por Mauro Oceans, Stefano Libertini e Ricardo Keferaus. A proposta é de realização de interferências visuais urbanas por meio de pinturas em murais e grafite como uma linguagem institucional, utilizando espaços públicos e privados nas cidades. O Coletivo participou no I Festival Conexões Aracati, que teve participações dos artistas Narcélio Grud, Rafael Limaverde, Maira Ortis e Stefano Libertini.

Sinopse
Canoa em Cores propõe realizar um mural de grande porte que dialogue com a cidade, valorizando a cultura local e afirmando os conceitos artísticos e urbanos em uma intervenção urbana contemporânea.
 

Palco José Avelino
22:30H | | Cólera | Música

Um dos nomes mais icônicos do punk rock nacional, a banda Cólera se reinventa no cenário musical produzindo com vitalidade com quase 40 anos de atuação. Com trajetória marcada por shows históricos, Cólera abriu caminhos para outras bandas do gênero no País. Com reformulações na formação, atualmente, a banda conta com Wendel (vocais), Pierre (bateria), Val (baixo), Fabio (guitarra) e o Cólera traz sua incomparável energia em uma apresentação que convidará o público a acordar ao som de músicas inéditas. 
 

Palco Draga Dragão
22:40H | #SraChicheraTour | La Yegros | Música

La Yegros é uma cantora de Buenos Aires (Argentina) que apresenta uma mistura explosiva que vai do funk, dub, rap a cumbia em músicas super dançantes. Com tons das músicas indígenas amazônicas e onda relaxada de uma rappera chique, a cantora La Yegros, utiliza ritmos frenéticos, uma pegada eletrônica, acordeão, guitarra, percussão e sua voz para caracterizar um novo som de cumbia, ritmo colombiano difundido mundialmente. Seus shows prometem fazer as pessoas dançarem do começo ao fim! 
O primeiro álbum da artista, Viene de Mi, de 2013, tem uma variedade de influências que combinam música tropical, folclore, reggae, dancehall e música árabe. O álbum Magnetismo, lançado em 2016, traz músicas como Chicha Roja, Dejáte Llevar, Arde e Sueñitos. 
La Yegros já percorreu o mundo, tocando em quase 20 países ao longo dos últimos dois anos. Participou de festivais no Marrocos, Hungria, França, México e Brasil, conquistando o público dos países que visitou. 
Seu projeto é produzido por Gaby Kerpel, também conhecido como King Coya, compositor argentino que já compôs trilhas sonoras para produções internacionais como Fuerza Bruta e De LaGuarda.


// Dia 30 de Abril | Domingo
Palco Nublu Estoril
00:00H | | Cambará | Música

O Grupo Cambará surgiu em 2012, através do encontro do compositor, cantor, violonista e guitarrista Egídio de Oliveira, com o compositor e trompetista Jordão Luz, em uma confraternização conhecida como Samba do Lago, que reunia músicos, compositores e admiradores da música na praça do Lago Jacarey aos domingos. A partir desse encontro formaram o Grupo Cambará com Ednar Pinho no baixo e Igor Ribeiro na bateria.
Atualmente o grupo apresenta composições autorais influenciadas também pela MPB, Jazz e Música Regional Nordestina. O Cambará une canções (música cantada) e músicas instrumentais em uma mesma apresentação. Suas músicas próprias são um convite à mais íntima expressão do Grupo Cambará, que tem como principais influências musicais são: Tom Jobim, Edu Lobo, Hermeto Pascoal, Guinga, Djavan, João Bosco, Miles Davis, Wynton Marsalis e Breculê.

Maloca Parties Mambembe
00:00H | | Lascaux | Música

Lascaux é uma banda fortalezense de synthrock autoral que dialoga com reggae, new wave, glam rock e tem uma nostalgia oitentista. Por meio de seu som, a banda aponta para uma temática de geração encurralada numa urbe tropical e decadente. Criada em 2016, a banda possui integrantes com experiências diversas em trabalhos (antigos e atuais) com outras bandas do cenário local. A banda é formada por Eric Lennon (baixo), George Alexandrez (vocal), Lua Underwood (vocais e sintetizador), Rony Duarte (bateria) e Samuel de Melo (guitarra).

Maloca Parties Pirata
00:00H | Sistema Estereofônico | Borogodó | Música


Composto por Daniel Goiana e Selekta Fisherman, a proposta é ser mais que um coletivo de DJs. A ideia é uma plataforma colaborativa em que as discotecagens sejam um ponto de partida para conhecer cada vez mais a ginga e o suingue da música brasileira.
Nosso passeio sonoro busca contemplar ao máximo a imensidão sonora brasileira, indo desde o rojão, forró, baião, carimbó, soul e psicodelia dos anos 1960/70, agitando com os boogies e experimentos baianos do axé dos anos 1980, até ao groovie contemporâneo que continua a balançar nosso povo.
Hoje, os DJs são residentes dos projetos Sarará Miolo (DJ Daniel) - Birosca e ÁfricaBrasil (Selektah Fisherman) - Ajeum de Oya, além de serem co-realizadores e realizadores da Ziriguidum (festa voltada exclusivamente para a música brasileira tocada no vinil) - Casa Fora do Eixo e Lions Bar.
 

Palco Nublu Estoril
01:00H | Lançamento do álbum Praia Futuro | Praia Futuro | Música

O tecladista e saxofonista turcosueco Ilhan Ersahin, fundador da gravadora nova-iorquina Nublu, uniu forças com alguns dos principais músicos nordestinos da atualidade, o baterista/produtor Yuri Kalil, o guitarrista Fernando Catatau, da banda Cidadão Instigado (dentre outros projetos) e André Dengue, baixista da banda Nação Zumbi. Os músicos se inspiram em uma combinação de rock com a rica cultura musical nativa do nordeste do Brasil, mais do que em qualquer conceito de samba ou bossa. 

Arena Dragão do Mar
01:00H | | Jam Session de Dança | Dança

Os alunos do Curso Técnico em Dança (CTD) da Escola Porto Iracema das Artes, em comemoração ao Dia Internacional da Dança, realizam diversas apresentações na Maloca Dragão. Entre elas, a Jam Session de Dança.

Jam Session - improvisação de dança
É um espaço seguro para a livre experimentação em dança improvisada. JAM significa Jazz After Midnight. Como os músicos de jazz, é possível praticar Contato Improvisação dançando nas JAM?s. O fundamental é que, toda vez que dançamos, temos o potencial para aprender. Os participantes sempre têm a escolha sobre a forma de começar, como se engajar, como e quando finalizar uma dança.

Maloca Parties Mambembe
01:15H | Lançamento do EP Tropical Technology | New Model | Música

Lua Underwood e Lola Aaliyáh forma o duo New Model que, desde 2015, atua em Fortaleza. Sintetizadores, glam rock e música eletrônica fazem parte do som da dupla, que conta ainda com referências e influências das artes visuais, vivências na cidade natal, assim como o visual marcante e inventividade. Partindo das questões pessoais, o New Model também traz para discussão questões de gênero e liberdade. 
O primeiro trabalho do duo é o EP Tropical Technology, lançado em 2017 pela Boldo Musical. 

Maloca Parties Pirata
01:15H | Me Perder Me Faz Andar | Juruviara | Música

Desde 2005, Juruviara dedica-se à música como forma de expressão e liberdade. Grava seu primeiro álbum em 2012, Me Perder Me Faz Andar, junto dos músicos Jordão Luz (Trompete), Germano Lima (Baixo) e Dudu Kamiza (Percussão). Atualmente, traz no repertório canções que mesclam diversos ritmos da música brasileira, do dançante ao cancioneiro popular. 

Teatro Dragão do Mar
16:00H | Mãe por meia hora | Circo-Teatro Pimenta | Circo

Espetáculo "Mãe por meia hora" é uma estória de palhaço que envolve a brincadeira do casamento atrapalhado e peripécias de um palhaço esperto, produto do Circo-Teatro Pimenta e Mestre de Cultura do Estado do Ceará, um senhor de 72 anos que vem levando sua vida artística em circo desde os 14 anos de idade, reconhecido pelo Ministério da Cultura do Estado em 2012.

Sinopse do espetáculo
Mãe por meia hora: uma carta com uma proposta irrecusável de casamento e o azar do palhaço. Mestre de cena: (depois de ler a carta). Pimenta! Ta vindo um milionário pra casar com minha mãe, estamos ricos, ricos! Comemoram, e logo o palhaço Pimenta retruca - Mas como vamos ficar ricos? Se tua mãe acabou de viajar. Mestre de cena - Pimenta vai até ali e volta. Uma sensacional comédia que você vai rir do começo até o fim.

Ficha técnica:
Elenco: José de Abreu Brasil, Mestre Pimenta Jorge Brasil, Aila Brasil, Aparecida Brasil e Rafael Lopes. Produção técnica: Ricardo Bruno e Rebeka Lúcio.
 

Rua Tabajaras
16:00H | Cara de Viado | Márcio Peixoto | Arte Urbana

Márcio Peixoto é artista multimídia (artes visuais; audiovisual e música) e pesquisador. Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará, desenvolve projeto prático de pesquisa em processos de criação e produção de imagens de si nos espaços e telas midiáticas da contemporaneidade. Para este projeto, conta com a colaboração e parceria de Mayara Uchôa, graduanda do curso de Licenciatura em Teatro, pelo IFCE, integrantes da turma 2015-2016 de Princípios Básicos de Teatro (Theatro José de Alencar) e Toni Benvenuti, ator, performer, fotógrafo e mestrando em Artes pelo Programa de Pós-Graduação em Artes (PPGARTES) da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Sinopse
O que é ter Cara de Viado? A partir de uma série de intervenções gráficas nos rostos de registros fotográficos cedidos por homens homossexuais, a ação faz uso do lambe-lambe para tencionar aspectos relativos às identidades e ao imaginário coletivo que permeia as vivências sociais desses sujeitos, ao levar para o espaço da cidade novas visualidades para a ideia do que é ter Cara de Viado.
 

Arena Dragão do Mar
17:00H | Histórias de Heróis Negros | Edivaldo Batista | Infantil

Encontramos a figura do Herói em todas as manifestações mitológicas que constituem a cultura oral de um povo. Não seria diferente nas mitologias africanas. Por isso Histórias de Heróis Negros é um espetáculo de narração voltado para o público infantil, realizado pelo ator e pesquisador Edivaldo Batista, com base nas narrativas mitológicas do herói africano. 

Sinopse da proposta
O espetáculo acontece em espaços livres, acompanhado de uma bicicleta e nela todos os adereços e apetrechos necessários para apresentar as aventuras de Sudika-Mbambe, um herói cultural dos Ambundus de Angola.

Ficha ténica
Concepção, Atuação e Direção: Edivaldo Batista. Figurino: Francisca Li Produção: Edivaldo Batista. Cenário: Francisca Li. Preparação de corpo: Pedro Emanuel. Máscara: Sr. Marcos Apoio: Yuri Aldenhoff
 

Oca Maloca
17:00H | | Na Quebrada do Coco | Cultura Popular

O grupo Na Quebrada do Coco, de Fortaleza, conta um pouco das histórias de suas influências fazendo um passeio por alguns sotaques do coco de roda espalhados pelo Brasil. Assim, o espetáculo traz versos de diversas mestras e mestres importantes nessa brincadeira popular, mas também traz músicas autorais de artistas e brincantes de Fortaleza, procurando fortalecer a produção local e o reconhecimento dessa cultura que é herança de povos que ainda resistem em nossos dias. O espetáculo traz histórias contadas através de versos, nas batidas do pandeiro e alfaia e no balanço do ganzá.

Muro próximo ao Café do Dragão
17:00H | Flor de moça | JOX | Arte Urbana

A arquiteta e artista plástica Jox, figura recém-chegada à cena da arte urbana em Fortaleza, inaugura no Maloca Dragão 2017 a instalação Flor de Moça. Com cerca de 85 x 60 cm, lambe-lambe e tranças de cetim coloridas, a obra versa sobre a relação entre o ser humano e a natureza. A artista, que já fez a exposição individual Corpor, no Salão das Ilusões, e participou do Festival Concreto 2015. 

Sinopse:
A obra Flor de Moça é uma instalação sutil, que tem como tema a relação entre seres humanos e o mundo natural. Uma moça - delicada como se feita de nuvem - exibe uma orquídea e olha ternamente ao espectador. Moça e flor parecem ser apenas um ser - um convite a repensar a natureza como parte de nós mesmos.
 

Muro próximo ao Café do Dragão
17:00H | Sem título | Zé Victor | Arte Urbana

Zé Victor, artista cearense formado em design gráfico e atuante nas áreas de ilustração e artes plásticas, apaixonado por desenhar desde sempre. Através do skate teve contato com a rua, arte urbana e cultura hip hop ainda jovem. O incentivo de um professor de faculdade o fez começar no grafite há três anos, não parando mais na arte urbana. Entusiasta do calligraffiti, traz um estilo que mistura suas influências do desenho acadêmico e da rua, mesclando caligrafia e realismo nas suas intervenções.

Sinopse
Intervenções de grafite mesclado com caligrafia que exploram as possibilidades da arte fazendo intercessão entre estilos tradicionais e urbanos. As intervenções visam dialogar com a cidade trazendo questionamentos do nosso cotidiano.
 

Arena Dragão do Mar
18:00H | Cativeiro | Paula Yemanjá | Literatura

Trabalho inédito de narração de histórias voltado para o público adulto com textos de Eliane Brum, Nelson Rodrigues e Matéi Visniec; o espetáculo narra situações limite onde os personagens tomam atitudes extremas para se libertar da situação de aprisionamento que estão sujeitos. A atuação é da atriz, educadora e contadora de história Paula Yemanjá, graduada em Letras pela UECE. A trilha sonora é criada ao vivo pelo músico Moisés Filipe, cantor e compositor formado em música pela UFC, é atuante no cenário teatral da cidade como ator, preparador vocal e compondo sonoplastias.

Sinopse da proposta
CATIVEIRO: 1. Privação da liberdade sem obrigação de servidão; 2. Estado da pessoa cativa; 3. Tempo que dura esse estado; 4. Lugar onde se está cativo.

Ficha Técnica
Texto adaptado: Paula Yemanjá. Atuação: Paula Yemanjá e Moisés Filipe
 

Oca Maloca
18:00H | | Maracatu Nação Iracema | Cultura Popular

A Associação Cultural e Educacional Afro Brasileira Maracatu Nação Iracema, de Fortaleza, é uma associação cultural de cunho carnavalesco que participa do desfile de maracatu de Fortaleza .Em 2002, a fundação do Maracatu Nação Iracema fez surgir o grupo Tambores de Abogun, o grupo de dança Abogun Bolu, o grupo de Poetas Negros do Ceará; o Centro de Defesa da Vida e Resgate da Cultura Negra no Ceará, o cursos de construção de tambores e confecção de figurinos, além de cursos de cidadania e empreendedorismo e, como  um dos resultados desse processo, o desfile do maracatu no Carnaval de Fortaleza.
 

Escola Porto Iracema
18:00H | A dança nossa de cada dia | Silvia Moura | Dança

Silvia Moura é uma artista das conexões possíveis, entre o corpo e o pensamento. Comunica-se através das mais diversas mídias, utilizando a dança, a performance e a palavra como principais pontes para essa viagem entre sua vida e o olhar do público. Relação essa que permeia sua dança-desabafo, tornando-a uma das artistas mais emblemáticas no que diz respeito à educação, produção e difusão da dança no Ceará. O trabalho participou de Laboratório de Criação da Escola Porto Iracema das Artes, em Fortaleza. 

Sinopse do espetáculo
A Dança Nossa de Cada Dia inicia, transbordo. Estou num solo povoado de pessoas e sombras. Mais uma dança , mais um mergulho para um canto de mim , mais um encontro entre mim e outros. Dançar é assim: comigo e com o outro. Mais um desejo de transbordar os limites do já dançado, mais um questionamento compartilhado, mais um lixo dividido e salvo, mais um pouco de mim vazado. Salvo o que sobra de mim.

Ficha técnica
Dança de Silvia Moura. Proposta de Figurino: Matias Francisco, Marina Carleial, Rodrigo Ferreira, Ruth Aragão e Ilya Borges. Trilha: Wladimir Cavalcante. Participação e produção: João Paulo Pinho. Fotos: Jean dos Anjos | Luiz Alves |Paulo Winz. Tutoria:Luiz Mendonça. Colaboração: Alexandre Américo.

Teatro Dragão do Mar
18:00H | Avental Todo Sujo de Ovo | Grupo Ninho de Teatro | Teatro

Criado como grupo de teatro em 2008 e como Associação e Produtora Artística em 2009, o Ninho de Teatro é da cidade do Crato, no Cariri cearense. Ao longo da trajetória, o Grupo  desenvolveu e mantém sete espetáculos em seu repertório: Bárbaro (2008), Avental Todo Sujo de Ovo (2009), Charivari (2009), O Menino Fotógrafo (2012), Jogos na Hora da Sesta (2012), A Lição Maluquinha (2013) e Poeira (2016). Contribuindo com o desenvolvimento das artes cênicas na região do Cariri, o Grupo montou uma sede em 2011, a Casa Ninho, que recebe espetáculos, ensaios, reuniões e mostras de arte. A partir dos espetáculos difundem  a produção contemporânea do teatro feito no Cariri cearense. 

Sinopse do espetáculo
O espetáculo convida os espectadores a visitarem a casa de Alzira e Antero, um casal que há dezenove anos, junto à comadre Noélia, vive a angustiante espera do filho Moacir. Este cotidiano só se modificará a partir da inesperada visita de Indienne Du Bois. A partir dessas relações, trata da relação familiar, seus sentimentos, limitações e suas in/verdades. 

Ficha técnica
Texto: Marcos Barbosa. Direção: Jânio Tavares. 

Ruas no entorno do Dragão do Mar
18:00H | Meus 4 aninhos | As 10 Graças de Palhaçaria | Teatro

O Grupo As 10 Graças de Palhaçaria é composto, em sua essência, por artistas de rua com estudos voltados para a palhaçaria, o circo, a bufonaria e a cultura popular. Criado em 2012, em Fortaleza, o grupo desenvolve trabalhos nas linguagens de circo, teatro e performance, mas todos têm a rua como local de experimentação e fruição dos trabalhos. Em 2014, o grupo passou a realizar temporada permanente na Praça do Ferreira e em outros pontos de Fortaleza como forma de difundir a cultura do chapéu e impulsionar as formas de ocupação do espaço através da arte. Entre os espetáculos apresentados estão Cabaré da Desgraça, Mais uma grande besteira, No olho na rua. 

Sinopse do espetáculo
Partindo de uma tradicional festa de aniversário e dos seus elementos imagéticos, provocamos a suspensão, mesmo que momentânea, dos significados e sentidos dos espaços habituais e das ordens de convivência marcadas por uma suposta harmonia social. Pela criação de estados utópicos, onde possamos estabelecer espaços de desejo, reforçar laços em um estado de coisas onde a felicidade possa se fazer.

Ficha técnica
Concepção: Grupo As 10 Graças de Palhaçaria. Produção Executiva: Alysson Lemos e Lissa Cavalcante. Elenco: Alysson Lemos, David Santos, Igor Cândido, Edivaldo Ferrer e João Victor. 

Palco Rogaciano Leite Filho
18:30H | Racional | Andersoul | Música

O cantor, compositor e produtor cultural Andersoul, natural de São Paulo, chegou a Fortaleza em abril de 1996, e aqui estudou no conservatório de música Alberto Nepomuceno. Andersoul mistura elementos da música nordestina e passeia por vários estilos musicais, como reggae, soul, funk, Hip Hop, Afrobeat, Cumbia, jazz, blues e rock, trazendo originalidade em suas canções.
Andersoul já dividiu o palco com o saudoso Jair Rodrigues, Lulu Santos, Martinália, Baby do Brasil, Orquestra Imperial e Cedric Myton (The Congos). Em 2016, foi uma das atrações no Brazilian Days em Estocolmo, capital da Suécia.
Em sua carreira local, o cantor integrou as bandas Racional Sou e Groovytown, além de fazer cover do cantor jamaicano Peter Tosh e do rei do soul brasileiro, Tim Maia. Seu mais novo projeto é lançar seu primeiro disco intitulado RACIONAL e conta com a participação de grandes musicistas do cenário cearense.
 

Palco Draga Dragão
19:00H | A irreverência do Sertão contemporâneo | Geraldo Junior | Música

Geraldo Junior é um brincante, cantor, compositor e multi-instrumentista, que revela em sua música uma inquietação artística e fabulosa. Natural de Juazeiro do Norte, na efervescente região do Cariri cearense, cresceu em meio a diversidade da cultura popular tradicional. Esse cenário reverbera em seu trabalho, que passeia livremente por elementos contemporâneos e do universo dos reisados, lapinhas, pastoris, bandas cabaçais, maracatu cearense, coco, embolada e cantoria. 
Com performances e figurinos característicos, Geraldo Junior traz para o público o misticismo presente no imaginário popular, representando suas tradições, lendas, folguedos, história e personagens locais. Em seu show na Maloca Dragão conta com a participação de Beto Lemos, da Terreirada Cearense. 
Em seu novo trabalho, Forró Eletrônico, Toadas Digitais, o artista dialoga com elementos contemporâneos, novas tecnologias, beats de música digital e eletrônica, unindo à música, poesia, melodia e referências tradicionais em um show formado por guitarra, baixo, rabeca, percussão e sintetizadores. 
 

Palco Anfiteatro
19:00H | Vivências | Carlinhos Patriolino | Música

Dono de uma musicalidade própria e inconfundível, especialmente nas cordas de seu bandolim, Carlinhos Patriolino desenvolveu um trabalho autoral que revela sua herança sonora originalmente brasileira, facilmente detectada em seus discos autorais: Rabisco e Sambopeando. Patriolino é multi-instrumentista autodidata, tocou e gravou ao lado de vários cantores e instrumentistas consagrados da MPB como: Amelinha, Ednardo, Fausto Nilo, Sandra de Sá, Zélia Duncan, Chico César, Alcione, Emílio Santiago, Wilson Simonal, Belchior, Orlando Morais, Paulinho Moska, Sivuca, Paulo Moura, Altamiro Carrilho entre outros. Desses artistas, o que mais marcou sua carreira foi o cantor Emílio Santiago, com quem tocou por quase nove anos.
Recém chegado de mais uma turnê européia, onde levou para solos portugueses, franceses e espanhóis sua última obra, o álbum Vivências, o músico retorna ao Brasil mais apurado em sua vertente Jazz, estilo que sempre o influenciou desde a adolescência. 

Arena Dragão do Mar
19:00H | Paginário | Leonardo Villa-Forte | Literatura

Nascido no Rio de Janeiro, o escritor Leonardo Villa-Forte é autor do livro de contos O Explicador, lançado em 2014 e do romance O princípio de ver histórias em todo lugar, lançado em 2015, ambos pela editora Oito e Meio. Com proposta artística que dialoga com diversas linguagens, atravessa literatura, artes plásticas, cinema, televisão suas atividades também incluem a intervenção urbana Paginário e mash-ups MixLit - O DJ da Literatura. 

Sinopse
Paginário propõe uma construção coletiva: os trechos favoritos de nossas páginas favoritas de nossos livros favoritos nas ruas. O conceito do Paginário é de formação de um mosaico de trechos de livros de diferentes autores, origens, estilos escolhidos por diferentes pessoas. As diversas páginas reunidas colocam o público em contato com uma experiência de leitura não tradicional, uma experiência de leitura onde se insere a geografia, o trajeto diário, a vida comum.

Teatro das Marias
19:00H | Devoração | Cia de Arte Andanças | Dança

Devoração é o mais novo trabalho da Companhia da Arte Andanças, que marca a celebração dos 25 anos de trabalho do grupo. O projeto se desdobrou, até aqui em três momentos: uma fala-intervenção, realizada pela coreógrafa Andréa Bardawil; um trabalho cênico, realizado pela companhia; e um documentário performático realizado em parceria com a produtora cearense Nigéria, que vem se destacando ao longo dos últimos anos na área de mídia livre e independente. O trabalho perpassa por questões pertinentes aos diferentes modos de resistência e do estar junto, atravessados por questões de disputa de território no meio urbano, sobretudo as remoções, e por diversas violações de direitos. A estréia do espetáculo aconteceu em agosto/2016, e o lançamento do documentário em outubro/16 [no Farol do Serviluz] e desde então, o trabalho já circulou pela Comunidade Quilombola do Cumbe [Aracati], para Itapipoca, e nos apresentamos no Pirambu, no Bom Jardim, no Poço da Draga, na Praia de Iracema, em Fortaleza.

Sinopse:
A principal questão que mobiliza este trabalho: O que é próprio do resistir? Qual a potência do corpo que resiste? Não queremos esquecer que suportar o desassossego tem a ver com superar a indiferença, a anestesia de um mundo de excessos vazios, a paralisia dos corpos dóceis. Numa Fortaleza tão frágil, esse trabalho é uma pergunta: Como permanecer fortes?

Ficha Técnica
Direção e composição coreográfica: Andréa Bardawil Intérpretes-criadores: Sâmia Bittencourt, Aspásia Mariana e Wellington Gadelha Assistência de produção e acompanhamento de ensaios: Luisa Bessa Figurino: Ruth Aragão Design Gráfico: Diogo Braga Produção: Pavilhão da Magnólia.

Teatro Sesc Iracema
19:00H | Asja Lacis já não me escreve | Grupo Terceiro Corpo | Teatro

O Grupo Terceiro Corpo surgiu em Fortaleza, em 2014, de uma vontade latente de pesquisar o trabalho do ator a partir da premissa do solo-coletivo. A primeira peça escolhida para montagem, Tudo ao Mesmo Tempo Agora, escrita por Maria Vitória, uma das integrantes do grupo, foi agraciado pelo Prêmio de Dramaturgias Femininas, se tornando a base para o primeiro laboratório de ator desenvolvido pelo Grupo. A ideia do Solo-coletivo trabalha com o conceito de personagem partilhada, na qual temos apenas uma personagem em cena e mais de um ator para representá-la. O último projeto do Grupo, Asja Lacis já não me escreve, participou do Laboratório de Criação em Pesquisa Teatral 2015 da Escola Porto Iracema das Artes. O Grupo é formado por Jéssica Teixeira, Juliana Carvalho, Marcos Paulo, Maria Vitória, Nádia Fabrici e Sara Sínteque.

Sinopse do espetáculo
O espetáculo gira em torno da obscura atriz, diretora teatral e militante de esquerda da primeira metade do século XX, Asja Lacis. Ou como diria Asja Profissão: Revolucionária. Em fim dos anos 30, Asja Lacis desaparece num campo de concentração stalinista. 'Asja Lacis já não me escreve', registra Brecht em seu diário de janeiro de 1939.

Ficha técnica
Direção e transcriação dramatúrgica: Maria Vitória. Elenco: Juliana Carvalho, Marcos Paulo e Nádia Fabrici. Iluminação: Rami Freitas e Maria Vitória. Cenário e figurino: Maria Vitória. Realização: Grupo Terceiro Corpo
 

Palco José Avelino
19:30H | Pré-lançamento do EP Tropeço no Meio Fio | Camila Marieta | Música

A cantora e compositora Camila Marieta possui atuação diversificada na área musical, participando de projetos, CDs e eventos. Após mais de um ano divulgando seu primeiro EP Imaginada, a artista trabalha no lançamento do segundo EP Tropeço no Meio Fio, título dos novos shows. Neste novo projeto Camila Marieta é acompanhada pelo trio de multi-instrumentistas Daniel Lima, Junior Quintela e Claudio Mendes, que também é o produtor musical. Ela também participou de importantes festivais como a VII Mostra de Música Petrúcio Maia (2015), Maloca Dragão (2016), evento em que lançou um novo single intitulado Cambaleada. 
 

Palco Praça Verde
20:00H | Vida longa aos oito baixos | Luizinho Calixto | Música

O sanfoneiro Luizinho Calixto, natural da Paraíba, compartilha com o povo cearense seu talento há mais de 30 anos, quando fixou moradia em Fortaleza. Vindo de família referência no cenário musical e, especialmente, na sanfona de oito baixos, ele apresenta seu show Vida longa aos oito baixos, uma síntese de seu trabalho pioneiro com o instrumento.
Além do show, Luizinho possui o projeto Eternizando o fole de oito baixos, que pretende fazer o resgate da tradição desse formato de fole no modelo de afinação que é tocado no nordeste brasileiro. O projeto inclui ainda a gravação do CD Em nome do pai os filhos, uma homenagem aos irmãos e ao pai, com quem aprendeu a tocar e cujas composições estarão no repertório.
Ao longo de sua trajetória, o instrumentista já tocou com Sivuca, Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga, acompanhou artistas como Dominguinhos, Elba Ramalho, Zé Calixto, Fagner. Luizinho tem dezoito discos gravados e se apresentou em Portugal, Espanha, França, Argentina e Cabo Verde. Dialogando com ritmos tradicionais, variados estilos musicais e improvisos, o sanfoneiro traz ao show repertório de sua autoria e releituras de diversas canções.
 

Oca Maloca
20:00H | Maria | Beatriz Barros | Circo

Da elegância do tradicional até as curvas do contemporâneo, Beatriz Barros mistura o ritmo da dança às estéticas circenses, num relato de uma mulher comum, de uma mulher qualquer. Beatriz é artista circense de lira, acroduo e ginástica rítmica.

Sinopse do espetáculo:
A performance traz uma mistura estética entre a dança e o circo através de acrobacias de solo, contorções e movimentos contemporâneos, o número "Maria" nos fala da mulher comum, dos seus sofrimentos, superações e suas autodescobertas, após a perda de um grande amor.

Ficha técnica
Criação e atuação: Beatriz Barros. 
 

Teatro Dragão do Mar
20:00H | Graxa | Henrique Lima e Diogo Granato | Dança

Um dueto de Henrique Lima e Diogo Granato. Um dueto bruto. Dois bailarinos em suas diferentes formações e técnicas juntam seus caminhos de coreografia e improvisação. Para juntar o Improviso Cênico de Diogo Granato e a coreografia contemporânea de Henrique Lima, os dois bailarinos buscam inspiração na capacidade de adesão da graxa, na estabilidade da viscosidade em função do movimento, resistência ao desalojamento, e a resistência a extremas pressões. Graxa lubrifica o encontro, permite o uso e abuso dos corpos, pressões, evita os desgastes e a deterioração das peças/corpos. Uma engrenagem de coreografias e improvisos, peças brutas, fortes, pesadas, deslizando suavemente, fluindo. Graxa. 

Sinopse do espetáculo:
Dois bailarinos, exímios em suas diferentes formações e técnicas, juntam seus caminhos de coreografia e improvisação, inspirados na capacidade de adesão da graxa, na estabilidade da viscosidade em função do movimento, resistência ao desalojamento e às extremas pressões.

Ficha ténica:
Concepção e atuação: Diogo Granato e Henrique Lima. Iluminação: Marcelo Esteves. Produção Executiva: Cau Fonseca | Mítica! Arte, Cultura e Comunicação. Produção: Guilherme Funari. 
 

Espelho d´água próximo ao Patativa do Assaré
20:00H | Impermanência... | Natália Coehl | Arte Urbana

Impermanência, estado de percepção da descontinuidade das sensações, mobiliza o corpo em uma dança que só existe a partir de cada respiração. Nesse movimento encontra-se Natália Cohel, performer graduada em Artes Cênicas pelo IFCE com especialização em Mímica e Teatro Físico. Um diálogo entre os atravessamentos do agora em um corpo, através da experiência, e o ambiente onde ele se encontra. Uma pesquisa em site-specifc, que tem o espaço como principal propositor do movimento, se questiona: qual o momento em que o movimento se forma a partir da relação com o espaço? Como as sensações do corpo podem influenciar a movimentação? O que me mobiliza? Como observar a corporificação (no sentido de trazer o movimento para a visualidade) do movimento? Natália escolheu o espelho d'água do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, próximo à escultura de Patativa do Assaré, como primeiro lugar de experiência da pesquisa, ainda não iniciada artisticamente.

Sinopse
Impermanência... é situada no movimento, na livre experiência da performer na água. Uma dança sem passado e nem futuro, uma dança sem aversão ou apegos, uma dança impermanente, que se dá a partir da experiência.

Palco Rogaciano Leite Filho
20:10H | Lançamento do disco Dança Três | Maria Ó | Música

Maria Ó é uma compositora, violonista e educadora musical de São Paulo. Em 2017, lançará o primeiro disco autoral Dança Três, em que canta e toca violão e guitarra. O trabalho apresenta o resultado de um processo de empoderamento artístico que reúne composições do período que vai de 2008 a 2016.  O álbum, que conta com produção musical dos cearenses Igor Caracas e Klaus Sena e co-produção de Guilherme Kafé, é um encontro entre regiões, transitando entre fronteiras e gêneros. Dialogando com novos elementos e com uma diversidade de pulsos e ritmos, as letras poéticas e cíticas versam sobre um cotidiano duro e, por vezes, fantástico. 
Maria Ó vem acompanhada pelos músicos Klaus Sena (baixo), Guilherme Kafé (guitarra e violão), Igor Caracas (bateria) e Ariel Coelho (percussões).

Palco Draga Dragão
20:10H | Bendito Som das Quebradas  | Erivan Produtos do Morro | Música

Erivan Produtos do Morro é um artista e produtor musical cearense ligado ao movimento Hip Hop. Ainda adolescente, o rapper fez parte do grupo Conscientes do Sistema, referência para o rap do Ceará. Seu som realiza conexões do rap com ritmos como rock, baião, reggae, assim como influências regionais como o repente e a embolada. 
Com seu projeto solo já participou de shows nos principais espaços culturais de Fortaleza,  assim como de diversos. Já realizou parcerias e gravações com referências do rap nacional e internacional, assim como apresentações na Finlândia e Alemanha. Em 2006, fundou o primeiro estúdio especializado em rap no Ceará, o Produtos do Morro - Produções de Rap, produzindo diversos CDs de artistas locais. 
Em 2015, foi um dos três vencedores da VII Mostra de Música Petrúcio Maia. Em 2016, foi selecionado para o Laboratório de Música da Escola Porto Iracema das Artes, recebendo tutoria de Tadeu Patolla. Durante o período na Escola, produziu e gravou cinco faixas inéditas que deram origem ao seu mais novo trabalho, o EP Bendito Som das Quebradas. Uma pesquisa inovadora na música autoral cearense, misturando as batidas do rap com a música popular nordestina também foi desenvolvida durante o Laboratório, que rendeu ainda novos arranjos para antigas composições de Erivan.
 

Palco José Avelino
20:50H | Egomaquia | Oscar Arruda | Música

Oscar Arruda destacou-se inicialmente no cenário musical de Fortaleza como guitarrista da banda de rock instrumental Somfusão, com quem gravou e lançou um EP em 2003 e fez vários shows entre 2000 e 2008. Seu projeto solo teve início em 2010 com o lançamento do EP Uni Verso, trabalhando a sonoridade do jazz-rock. Em 2014, Oscar dá início a uma viagem musical densa por espaços inquietos da existência e chega à criação de seu segundo álbum, Egomaquia. A atmosfera onírica do material é sinal da parceira de Oscar com os músicos da banda Astronauta Marinho, que vem fazendo um trabalho instrumental destacável na cena cearense. O show na Maloca do Dragão coroa um processo intenso de três anos de produção e celebra o lançamento simultâneo do álbum nos formatos virtual, CD e Vinil.

Palco Anfiteatro
21:00H | Jam Instrumental | Márcio Resende, Nélio Costa e Tarcísio Sardinha | Música

Show composto por grandes instrumentistas e compositores residentes no Ceará, nessa Jam os músicos Tarcísio Sardinha, Marcio Resende e Nélio Costa passeiam pelo Brasil em toda sua riqueza de música instrumental. As principais referências são os grandes instrumentistas e compositores da Música Popular Brasileira, como Tom Jobim, João Donato, Pixinguinha, Edu Lobo e outros.
 

Oca Maloca
21:00H | AoVerso | Os Desconhecidos | Circo

Coletivo formado em 2015, Os Desconhecidos tem se destacado na cidade de Fortaleza pelo seu desempenho em técnicas circenses tradicionais, com foco na pesquisa e na criação em torno da técnica milenar do malabarismo. Há mais de 10 (dez) anos os artistas Henrique Rosa e Rafael Sudaka se dedicam profissionalmente as artes circenses. A arte de lançar e se lançar ao ar, contrariando a paridade como se fosse brincadeira, Pitchula e Sudaka combinam estilos, formas e desafios. Em um jogo alucinante nos ritmos, risos, suspense, e euforia, o espetáculo AoVerso brinca com várias sensações, os protagonistas apresentam o malabarismo no seu mais alto nível, misturando a magia do circo e as belezas da rua.

Sinopse do espetáculo
Apresentamos um número circense que traz a rua como palco e o céu como lona, buscando a ocupação dos espaços públicos através da arte circense. Na lúdica mistura da palhaçaria com o malabarismo, utilizando de uma a oito claves, bola de futebol e facões, os dois protagonistas trazem um número onde emoção e dificuldade aumentam progressivamente. 

Ficha técnica
Criação e atuação: Henrique Rosa e Rafael Sudaka. 

Palco Praça Verde
21:20H | Simplesmente Kátia Cilene | Kátia Cilene | Música

Com recente carreira solo, a cearense Kátia Cilene lançou em 2016 seu primeiro CD promocional. Com 19 faixas, Simplesmente Kátia Cilene revive grandes sucessos do forró, envolvendo os fãs do forró das antigas. Com longa trajetória no cenário musical, Kátia Cilene passou 17 anos na banda Mastruz com Leite, atuando também pelas bandas Forró do Bom e Cavalo de Pau. Reconhecida entre os fãs do gênero, ela apresenta seu show repleto de sucessos. 
 

Palco Draga Dragão
21:20H | | Höröyá | Música

Höröyá é um grupo de música instrumental, da cidade de São Paulo, composto por doze integrantes, entre brasileiros e africanos. A banda tem como influência as culturas tradicionais de países do oeste africano, como Guiné, Mali e Senegal, diversas vertentes afro-brasileiras, como o samba e toques de candomblé, o afrobeat da Nigéria e de Gana e a musicalidade afro norte-americana, como o funk e o jazz. A instrumentação segue a diversidade cultural das influências, com diversos Ombres nas composições. O grupo propõe uma nova musicalidade, ressignificando origens e influências das matrizes africanas ao reunir instrumentos tradicionais africanos como ngoni, dunun, djembe, a brasilidade dos atabaques, berimbaus e cuíca e a contemporaneidade de guitarras, baixo, saxofones, trombones e trompetes. Höröyá é uma palavra de origem Mandeng, cultura do oeste da África, que significa liberdade, autonomia, dignidade e foi o termo usado durante a luta anti-colonialista na Guiné, para a afirmação de seus caminhos e ideais. O grupo é formado por André Ricardo, Rafael Fazzion, Bangaly Konate, Adilson Fernandes, Jefferson Cauê, Nando Vicêncio, Tobias Kraco, Richard Fermino, SinOa Piccin e Ivo Mineiro.

Palco Rogaciano Leite Filho
21:30H | Uranius | João do Crato | Música

Com vasta experiência nas vivências artísticas e culturais, João do Crato, artista multifacetado, leva no nome a origem: a cidade do Crato, no Cariri cearense. Ele reúne vasto repertório de apresentações, ações de fomento e incentivo à cultura e produções diversas. Em sua trajetória já homenageou artistas da música brasileira e da cultura do Cariri. Na década de 80, estreou nos palcos como vocalista da banda Chá de Flor, em Fortaleza. Também atuou em carreira solo interpretando grandes compositores caririenses. 
O cantor e intérprete retoma o espetáculo Uranius no processo de materializar a poesia de Geraldo Urano no imaginário popular, morto no começo de 2017. Assim, o espetáculo se configura como uma celebração ao potente Geraldo. Além de suas poesias, melodias de figuras que fazem parte do cancioneiro do cratense, como Abdoral Jamacaru, Cleivan Paiva, Pachelly Jamacaru, Luiz Carlos Salatiel e Bá Freire compõem a proposta de Uranius.
 

Oca Maloca
22:00H | Ragga do Crato | Dazára Sounds | Música

O Dazára Sounds é uma dupla de ragga do Crato, região do Cariri no sul do Ceará. Formada em 2016, é composta por Kayran Selecta, no controle do som e efeitos e Lvcas Mirim nos vocais. A proposta da dupla é de deixar uma mensagem de reflexão e conscientização para os seus ouvintes, e tudo isso através de rimas e discurso direto. A dupla procura manter a atmosfera dançante em suas músicas, galgando consciência e entretenimento na sua apresentação. O Dazára lança seu EP intitulado Ragga do Crato, em 2016.
 

Teatro Sesc Iracema
22:00H | Corpornô | Cia Dita | Dança

Um dos coletivos de dança mais expressivos da cena contemporânea do Ceará, a Cia Dita realiza, desde 2003, pesquisas voltadas para a construção imagética do corpo através de múltiplas linguagens, como a dança, o vídeo, a performance e a fotografia. Através de seus espetáculos, o grupo utiliza a nudez do corpo como meio para o discurso político, estético, artístico e filosófico. Em mais de dez anos de existência circula por eventos que se relacionam com dança e vídeo, como: Mostra Fora-Do-Eixo (SP), FID - Fórum Internacional de Dança (MG), Cine Ceará, Festival Internacional de Cinema de Brasília, Festival Panorama de Dança (RJ) e Festival Brasil Move Berlim, Bienal de Dança do Ceará.

Sinopse do espetáculo:
Considerado o projeto de maior liberdade do grupo, Corpornô risca uma linha tênue entre o erotismo e a pornografia. Os personagens mergulham nas profundezas do ser humano, lidando assim com o que existe de animal, social, humano e inumano em cada um de nós.
 

Palco José Avelino
22:10H | Ranço | Casa de Velho | Música

Estreando em 2015, em Fortaleza, a banda apresenta um som que envolve rock, MPB, samba e latin jazz. Dialogando com as possibilidades performáticas do teatro, a banda Casa de Velho apresenta o show Ranço, resultado do primeiro disco de mesmo nome. O espetáculo oferece uma experiência de conexão entre as duas linguagens por meio da experimentação sonora, visual e sensorial. A Casa de Velho já participou de editais de fomento à cultura, festivais como o VIII Festival de Artes Cênicas, o ManiFesta!Festival das Artes, Conecta - Festival Artes Sem Fronteiras, sendo ainda premiada na VIII Mostra de Música Petrúcio Maia. A banda também realizou apresentações em cidades da Argentina, lançando o single Demônio. Com envolvimento do público, a banda lançou em 2017 o disco Ranço e aprofunda a vivência artística por meio da produção, apresentação e performance. 
Casa de Velho é formada por Plínio Câmara, Mateus Mesmo, Rami Freita e Marcus Au Coelho. 
 

Palco Draga Dragão
22:40H | | BaianaSystem | Música

BaianaSystem é um grupo de Salvador que vem se consolidando no universo do movimento independente da música urbana produzida na Bahia com sua sonoridade universal. A guitarra baiana, a base percussiva com característica de ritmos afro-latinos, a retórica provocativa, a música jamaicana e samba do recôncavo baiano se atravessam compondo um som que vem proporcionando apresentações intensas. 
Surgido em 2009, o grupo lançou o primeiro álbum, BaianaSystem, em 2010. Em 2013, o EP Pirata foi apresentado, trazendo o hit Terapia. O segundo disco, Duas Cidades, lançado em 2016, projetou músicas como Playsom, Lucro (Descomprimido) e Barravenida parte 2 para um público ainda maior. Além do som, BaianaSystem apresenta concepção fotovideográfica marcante na identidade do grupo. 
Desde o início do percurso, a banda já se apresentou em diversas cidades brasileiras e em eventos internacionais  nos Estados Unidos, Japão, Rússia, Dinamarca, China e França. Em Salvador, vem se consolidando como destaque do carnaval independente nos últimos anos, arrastando multidões nas ruas da capital baiana. 
Formam a banda os músicos Russo Passapusso (voz), Roberto Barreto (guitarra baiana) e SekoBass (baixo). Por se tratar de um sistema, o BaianaSystem conta com a colaboração de diversos músicos, produtores e artistas. 


// Dia 01 de Maio | Segunda-Feira
Palco Nublu Estoril
00:00H | | Astronauta Marinho | Música

Essencialmente instrumental, o Astronauta Marinho tem como base quebrar seus próprios paradigmas e reinventar seu jeito de tocar. Partindo de suas próprias experiências cotidianas vividas na cidade de Fortaleza, as músicas são resultado da interseção entre influências pessoais e musicais, no modo de se relacionar com o som e percebê-lo. Linhas de guitarras e synths se complementam em melodias fortes e delicadas, associadas a uma rítmica instigante - construindo climas grandiosos, minimalistas e contemplativos. 
O projeto nasceu da iniciativa de Felipe Lima e a partir da apresentação na IV Mostra Petrúcio Maia, realizada pela Secretaria de Cultura de Fortaleza em 2011, a banda tomou o formato atual. Depois, o grupo lançou dois EPs no segundo ano da trajetória: Astronauta Marinho e Fartozalê, ambos lançados de forma independente. Atualmente, Astronauta prepara composições que vem sendo trabalhadas ao longo dos últimos dois anos, desde o lançamento do Menino Sereia. Será lançado em parceria com a Banana Records (Fortaleza) e a Dafne Music (São Paulo), ambos selos independentes com crescente destaque no cenário de música local e nacional. 

Maloca Parties Mambembe
00:00H | | Batekoo | Música

Batekoo é um movimento criado em Salvador em 2014 e que, ao longo dos anos, ganhou edições em outras capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo. A primeira edição em Fortaleza aconteceu em janeiro de 2017. A festa reúne ritmos black, entre eles hip hop, funk, R&B, twerk, kuduro em festas marcadas pela presença central da cultura negra e periférica, dialogando com as particularidades e demandas de cada cidade. A festa e os processos que perpassam pela preparação, divulgação e fruição dos eventos vêm se consolidando como um movimento de representação de jovens negros das periferias, enaltecendo a liberdade, o respeito, à diversidade, a estética e a resistência. 
 

Maloca Parties Pirata
00:00H | | DJ Marquinhos | Música

Marcus Antonius Alves Ribeiro, conhecido como Discotecário Marquinhos, é um dos DJs mais atuantes do cenário da cidade de Fortaleza, pela diversidade de projetos que reflete não só seu ecletismo, mas ligação precoce com a música, como filho de colecionador de LPs de MPB, depois como baterista de bandas de rock e vendedor de loja de discos. Em sua experiência de 18 anos de carreira, já fez apresentações em vários festivais e festas pelo Brasil. É um dos criadores de algumas das festas mais tradicionais de Fortaleza como a Fliperama e a Farra na Casa Alheia.
 

Maloca Parties Órbita
00:30H | | DJ Rodrigo Lobbão | Música

Rodrigo Lobbão mora em Fortaleza desde 1995, trazendo consigo referências e ampliando suas pesquisas musicais, sobretudo com a vanguarda. Em 2000, foi membro-fundador, juntamente com outros DJs e amigos, do primeiro núcleo de música eletrônica de Fortaleza, o Undergroove, sendo filiado ao coletivo Pragatecno.Tem sua maior referência no House e no Techno, como estilos principais. Com produção, Rodrigo vêm remixando e produzindo alguns artistas locais, em parceria de amigos DJs e músicos. Seu projeto futuro é lançar suas faixas e seu selo. 
 

Maloca Parties Pirata
01:00H | Ensaio e outros transtornos musicais | Freud explica? | Música

A banda Freud explica?, de Sobral (CE), apresenta repertório autoral e clássicos do brega e pop nacional e internacional. A temática que atravessa o som do grupo é universal: as dores dos relacionamentos mal resolvidos. Usando a mistura de ritmos e estilos, a banda realiza shows em que a interatividade com o público está sempre presente. A banda é formada por Gilmário Rebouças (voz), Gecilda Freire (voz), Manoel Artur (percussão), Stenio Nog (violão/guitarra), João Marcos (baixo), José Rones (trompete), Andrei Lima (bateria) e produção de Alana Ávila.
 

Maloca Parties Órbita
02:00H | | DJ Camilo Rocha | Música

Desde 1996, atua como disc jockey - começou tocando trance, techno e hoje concentra-se mais em techno, house e nu-disco. Já se apresentou em clubes e eventos como Green Valley, Warung, Lions Club, VoodooHop, XXXPerience, Tim Festival, Skol Beats, Virada Cultural, SPFW, Rec Beat, Planeta Atlântida, Ceará Music e Universo Paralello. No exterior, já tocou na Inglaterra, Argentina, Chile e Uruguai.

Maloca Parties Órbita
04:00H | | DJ Fil | Música

Celebrado como um dos principais nomes da música eletrônica de Fortaleza, FIL é um dos mais atuantes e respeitados DJs do nordeste. Conhecido pela qualidade, talento e versatilidade em conduzir suas apresentações, é um dos mais requisitados DJs do estado. Com mais de 14 anos de carreira, já se apresentou em 10 estados de todo o país.