// Programação
DIA 25 DIA 26 DIA 27 DIA 28 DIA 29 DIA 30
Filme Baronesa abre programação da Mostra Cinema Documental: Fronteiras e Verdades
Mostra Cinema Documental traz para a Maloca Dragão discussões sobre o documentário brasileiro. Programação segue até sábado come exibições, estreias e debates

A Mostra Cinema Documental: Fronteiras e Verdades deu início aos 4 dias de programação com a exibição do filme Baronesa, vencedor do Troféu Barroco na 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes. A Mostra, exibida no Cinema do Dragão, faz parte da 4ª edição da Maloca Dragão, que tem como temática "It's all true - Orson Welles +100 anos de Chico Albuquerque".

Baronesa, primeiro filme da diretora mineira, apresenta ao público as história de Andreia e Leidiane, duas mulheres moradoras da Vila Mariquinha, periferia de Belo Horizonte (MG), território que vive um conflito violento. A vontade de sair, a tentativa de mudança, a busca por desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e as expectativas de melhorias se fazem presentes nas narrativas. ?É uma honra estar aqui, exibir o filme fora de Minas. O filme está na terceira exibição, então é especial pra gente?, comentou Juliana Antunes, diretora do filme presente no primeiro dia da Mostra que faz parte da programação da Maloca Dragão.

A exibição do filme, considerado um híbrido por dialogar com o documental e o ficcional, foi seguido por um debate com Juliana, em que o público pode acompanhar os processos da filmagem e os desafios das experiências nos territórios que passavam por um conflito violento. O momento também permitiu o diálogo com o panorama do cinema documental brasileiro, assim como a reflexão sobre questões que fazem parte da negociação presente nas relações estabelecidas no processo do filme e seus aspectos documentais e ficcionais. 

"É um filme que ficcionaliza às vezes os acontecimentos da vida cotidiana, que trata de temas centrais, tanto do ponto de vista social, no sentido que é um filme que empodera as mulheres, que são protagonistas desse filme e também trata da violências nas periferias. É um filme super importante", analisa Pedro Azevedo, curador do Cinema do Dragão e da Mostra. 

Para ele, os quatro dias de programação da Mostra Cinema Documental são uma oportunidade de entrar em contato com ideias centrais do documentário mundial e do documentário brasileiro por meio de filmes, discussões e seminários. 

Cinema documental em discussão

Acompanhando a Maloca Dragão, festival realizado pelo Governo do Ceará através do Instituto Dragão do Mar, a Mostra teve como ponto de partida o filme It?s All True, de Orson Welles e que teve o cearense Chico Albuquerque como fotógrafo de cena. Segundo Pedro, a composição da programação da Mostra buscou temas presentes na obra inacabada de Welles, como a construção da identidade nacional através do olhar estrangeiro, o cinema que está na fronteira do registro documental e ficcional. 

A partir desse panorama, Baronesa, da mineira Juliana Antunes, Soy Cuba, do russo Mikhail Kalatozov,Vidas na Orla, do antropólogo Alexandre Fleming (CE) e o próprio It?s All True compuseram a programação. Ao longo da Mostra, debates com cineastas e pesquisadores serão realizados, reforçando o viés de discussão e reflexão que vem se estabelecendo como uma das  características mais fortes do Cinema do Dragão.

Filme Dia de Vo(l)tar faz parte da série Vidas na Orla e traz narrativas do Poço da Draga. 

O curador do Cinema do Dragão, Pedro Azevedo, ressalta a alegria com o lançamento da série documental Vidas na Orla durante a Mostra. A série, uma parceria entre TVC, Instituto Dragão do Mar e o Laboratório de Estudos da Oralidade da Universidade Federal do Ceará (UFC), está dividida em três episódios que levam para as telas reflexões sobre a orla de Fortaleza por meio de três territórios: Barra do Ceará, Poço da Draga e Beira Mar. Após a exibição, no dia 28, haverá bate-papo com o diretor da série, o antropólogo Alexandre Fleming. 

A Mostra será encerrada com a exibição de It?s All True, de Orson Welles e o seminário Edouard Luntz em Fortaleza e Canoa Quebrada, em que Fleming compartilhará uma pesquisa em andamento sobre a vinda do cineasta francês ao Ceará na década de 60. 
"É uma história muito parecida com a do Orson Welles, porque nunca foi terminado, um filme sabotado e aí o Alexandre vai falar um pouco sobre essa experiência que tem a ver com a construção do mito de Canoa Quebrada. Vai ser muito interessante essa dobradinha", apontou Pedro Azevedo, curador da Mostra.  


Programação dia a dia

Quinta-feira (27/04), 19h30 
SOY CUBA dirigido por Mikhail Kalatozov (Rússia) / 143 min / 12 anos 
Sinopse: O filme traça um perfil de um período de transição em Cuba, entre a derrubada do regime de Batista e a revolução comunista, a partir de quatro histórias diferentes. Maria, de Havana, fica envergonhada após seu pretendente descobrir como ela ganha a vida. O idoso camponês Pedro tem as terras onde cultivava vendidas para uma empresa. Um universitário vê seus amigos serem atacados pela polícia quando distribuíam panfletos a favor de Fidel Castro, enquanto uma família de camponeses é ameaçada pelas forças de Batista.
 
Sexta-feira (28/04), 19h30 
VIDAS NA ORLA (estreia) dirigida por Alexandre Fleming (Ceará) / 75 min / Livre. 
Sinopse: A Série Vidas na Orla consiste em um experimento etnográfico sobre a diversidade de experiências na orla fortalezense. Abrangendo três territórios importantes de nossa capital, a saber, a Barra do Ceará, O Poço da Draga e a Beira-Mar, a série busca figurar a diversidade de um povo criado à beira do mar, as resistências locais, as benesses e desventuras do viver urbano. Os filmes são: Marco Zero, Dia de Vo(l)tar e Arte Itinerante, com direção do antropólogo Alexandre Fleming Câmara Vale.
 
Sábado (29/04), 19h
IT?S ALL TRUE + SEMINÁRIO EDOUARD LUNTZ EM FORTALEZA E CANOA QUEBRADA. Exibição do documentário baseado na obra inacabada de Orson Welles, seguido do seminário Edouard Luntz em Fortaleza e Canoa Quebrada: Fragmentos de Operação Tumulto, onde serão apresentados fragmentos do documentário homônimo que investiga a vinda do cineasta Edouard Luntz ao litoral cearense nos anos 60 para dirigir um filme que foi lançado e imediatamente censurado e recolhido pela Fox. O seminário será ministrado pelo professor da UFC e diretor Alexandre Fleming.
 
SERVIÇO
Mostra Cinema Documental: Fronteiras e Verdades
Quando: de 26 a 29 de abril de 2017
Onde: Cinema do Dragão (Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura)
Acesso gratuito. Os ingressos começam a ser distribuídos 2h de cada sessão na bilheteria do Cinema do Dragão.