Foto durante uma manifestação em Paris, em maio de 1968, de Philippe Gras, que está na exposição "No Coração de Maio de 68", em cartaz durante a Maloca Dragão 2018

 

O mês de Maio de 1968 é um período emblemático da história recente no mundo. Foi a partir de então que direitos, conquistas e liberdades foram asseguradas por conta da força e da vontade das pessoas, principalmente, dos jovens. 

Foi em Paris que estudantes decretaram greve, contra o capitalismo, o consumismo e o imperialismo dos EUA. Isto reverberou em toda a sociedade francesa, com adesão de praticamente dois terços dos trabalhadores das cidades e dos campos, levando a uma grande greve geral, com as mais variadas demandas, que estavam atreladas a melhores condições de trabalho e ganho de direitos para os trabalhadores. Foi um levante originário da sociedade que enfrentou governo e polícia e não esmaeceu, por isso tem um poder tão grande em sua existência.

Era uma época em que o mundo não era tão conectado como hoje, no entanto, mesmo assim, foi um período em que jovens do mundo todo se mobilizaram para buscar mais liberdade em questões como sexo, estilo de vida e principalmente quebra com o estado vigente na época. No Brasil, a maior representação do espírito do Maio de 68 foi a Marcha dos Cem Mil, que aconteceu em junho de 68, organizada por estudantes contra a ditadura militar.

Impossível não observar as semelhanças entre o período histórico de 50 anos atrás e do Brasil de 2018. Vivemos um momento de lutar pela manutenção e reintegração de direitos históricos, conquistas que foram difíceis de conseguir e não podem ser perdidas em poucos instantes. 

A Maloca 2018 tem orgulho e prazer em trazer este tema para as milhares de pessoas que passam pelo festival para que nunca se esqueçam que a revolução está nas suas, nas nossas mãos.